No Areeiro... e furiosa!

 

 

 

 

Desde 6ª passada que não estávamos no Areeiro por compromissos assumidos há algumas semanas. Logo por azar coincidiu com a vinda do construtor para uma pequena obra exterior. Se era exterior claro que a minha presença não seria necessária, não seria mesmo e portanto, pedreiros, areia, cimento, tijolos e andaimes ficou por aqui tudo à solta...

 

 Como disse, a obra era exterior e por isso ficou estipulado que entrariam pelo portão lá do fundo da horta… já comentei que o meu espaço exterior foi crescendo por duas aquisições ao meu vizinho da quinta que fica por detrás… e esse meu vizinho, de nome Azeitona, tem cabras mais um velho bode, que fazem as delícias dos meus netos quando cá vêm.

 

 E que têm a ver os pedreiros com as ditas cabras, perguntarão. Tem tudo pois, os ditos pedreiros  entraram e nada de fechar o meu portão e aí as cabras do Sr Azeitona entrem por ali a dentro e vá de comer tudo o que encontraram pela frente: os meus tomateiros, ainda carregados, os meus phisalys carregados de frutos e flores prometendo grande safra para o Natal e pior, muito pior, devoraram os meus maracujás que há meses eu cuidava com devoção, já que no meu ano de Canadá quase lhe perdi a raça!!

 

Não imaginam o que senti quando cheguei e como de costume fui dar a minha volta à “propriedade”! Felizmente já não estavam pois, se os visse acho que não iam gostar do que lhes diria, tal era a minha fúria!

 

Ora vejam só…

 

 

 

 

p.s. este post foi editado por conter um erro ortográfico e que nenhum dos que me leu ou não deu por ela ou não quis que eu ficasse constrangida. Não, porque desde que não se abuse " herrar é umano" !!!!!!!!!!!

publicado por naterradosplatanos às 17:08 | link do post | comentar