Uma vez perguntaram-me se era minha irmã!

 

 


   

 

Já foi há uns anos que isto aconteceu mas mesmo assim diz qualquer coisa! Agora que eu tenho o cabelo bem cinzento (não gosto do termo grisalho!) acho que os 23 anos que nos separam se notam ainda menos. Pois é, a minha mãe faz hoje 90 anos mas, o seu estar, a sua actividade quase nos leva a acreditar que a registaram 20 anos antes  do dia em que realmente nasceu! (atenção à matemática que os pode confundir!)

 

Que o digam os netos e até os bisnetos para os quais ela tem e sempre teve toda a paciência do mundo, contrariando às vezes as directivas dos pais. Não é pois por acaso que a minha filha Patrícia diz que férias em casa da vovó Alice eram o que de mais parecido havia com as “ Aventuras da Pipi das Meias Altas”!! Imaginem portanto o que aquilo era.

 

 

A minha mãe ainda hoje tem duas paixões, a pintura e o seu jardim. Quanto à pintura é por épocas e então é compulsiva e de manhã à noite só vê telas, paleta e tintas, tudo o resto não existe!

Quanto ao jardim a sua paixão é sazonal mercê da inclemência dos invernos transmontanos, assim, quando se anuncia a Primavera lá está pronta a pagar o que ela chama de “Imposto primaveril” e assim o seu jardim fica florido de um dia para o outro! Depois é admira-lo todos os dias tirar uma folha murcha aqui e ali, ajeitar este ou aquele vaso, adubar um pouco mais … e os amores-perfeitos, as petúnias ou os gerânios crescem então exuberantes  até que as geadas cheguem. Para terminar  devo acrescentar que a minha mãe tem realmente alma de artista!

 

   

Como nunca gostou que lhe dessem os parabéns eu apenas digo que todos nós nos sentimos muito felizes por termos uma mãe cheia de vitalidade e só desejamos que assim continue...

 

 

Como um simples chapéu de feira se transformou pela suas mãos...

 

 

 

 

 

 

 

publicado por naterradosplatanos às 07:37 | link do post | comentar