Sexta-feira, 27.07.12

E por aí… Viver na Ilha não deve ser fácil!

 

 

Uma ilha é sempre uma prisão, entrar e sair dela depende sempre de outros, não podes por pés ao caminho, pedalar numa bicicleta ou mesmo “fugires” na Carreira que te passa à porta. Para onde fores lá está o mar!

Não, não deve ser fácil fazer vida aqui embora para os que cá nasceram e não conhecem outros mundos possa ser um pouco mais leve. Porém para os que alguma vez saíram, não deve ser fácil voltar a viver aqui, embora voltem para matar saudades dos seus e dos lugares da sua infância.

 

Não é pois de admirar que os açorianos estejam por toda a parte. Ao longo de muitas décadas os barcos passavam e eles embarcavam… A “terra prometida” era para eles a América. Boston e Toronto têm o maior número e nelas constituíram verdadeiras “ilhas” onde comunidades cresceram e onde, na altura nem era preciso saber inglês para sobreviver.

Vejam o caso de Fall River* a sul de Boston onde tive a possibilidade de ir durante o “meu ano canadiano” e que me deixou, acreditem, muito emocionada.

 

Estão aqui transcritas as minhas emoções de então:

 

 

http://naterradosplatanos.blogs.sapo.pt/2010/10/12/

 

 

http://naterradosplatanos.blogs.sapo.pt/31465.html

 

 

 

*Tenho que investigar se Fall River traduzido à letra como “rio que cai” não terá sido dado por algum açoriano em homenagem às muitas cascatas que há nas ilhas. Não me parece que a minha suposição seja disparatada, pois não?

 

 

 

 

publicado por naterradosplatanos às 17:53 | link do post | comentar | ver comentários (3)
Quinta-feira, 26.07.12

E por aí… a caminho da Ribeira Quente

 

A estrada é paradisíaca e a promessa de uma praia de água quente levou-nos lá…desilusão, a praia estava fechada para obras, leram bem, fechada para obras de consolidação da arriba.

 

A praia deve ser mesmo a melhor da ilha, ampla, em concha, abrigada do norte por uma arriba enorme e ainda de água quente segundo dizem. Daí seu nome.

Apesar de não podermos constatar essa característica, valeu a pena lá ter ido (chegar ao mar nestes sítios nem sempre é fácil) por ter tido a possibilidade de encontrar pelo caminho um túnel! (?).

 

 

 

 

O túnel, era um túnel e pronto! O que tinha de especial? O túnel, nada! O que chamou à minha atenção, isso sim, foi o que estava antes e depois como manda o Código da estrada! Vejam só as fotografias que se seguem:

 

 

 

 

Esta gente ainda precisa muito, muito de escola, escola que os ponha a pensar, uma escola que os ponha a raciocinar porque as coisas são assim e não de outra forma…

publicado por naterradosplatanos às 09:59 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Terça-feira, 24.07.12

E por aí… em Rabo de Peixe!

 

 

 

Só ouvi falar de Rabo de Peixe depois de ter unido o meu destino ao açoriano de que ontem falei.

 

Sempre ouvi dizer que Rabo de Peixe era o lugar mais pobre da Ilha. Lugar de pescadores de faina costeira vivendo na pobreza do que o peixe lhes dava…

Hoje felizmente os tempos mudaram e pelo que vi hoje, essa pobreza já não existe. De qualquer forma as gentes têm um ar desmazelado, pouco limpo, as ruas estão sujas: latas de refrigerantes, papeis de gelados, garrafas de água…

 

As ruas são estreitas e descem quase a pique para o mar.  Nelas o que mais me espantou, é que a maioria das casas está recuperada (provavelmente dinheiro da emigração) e o colorido das fachadas é tal que tem ar de desafio entre os moradores para ver qual tem a casa mais garrida!

Talvez esse garrido minimize as tristezas das gentes do mar que as habita.

 

Nota: Numa esquina de rua, encontrei uma loja de chineses e pus-me a pensar como aquele jovem casal se sentiria ali, nos longos, chuvosos e escuros invernos da ilha…

 

 

 

publicado por naterradosplatanos às 19:06 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Segunda-feira, 23.07.12

E por aí... escolhemos o Nordeste

 

 

Hoje é o “nosso dia”, dia em que há 43 anos disse o SIMpara
sempre
a alguém que nasceu nesta ilha!

Escolhemos o Nordeste para passarmos o dia. Em curvas e
contracurvas até exatamente ao nordeste geográfico da ilha, percorrendo a não
mais de 30km por hora, a única estrada que percorre o sul da Ilha. Fomos
parando  neste e naquele miradouro para
nos deslumbrarmos com a paisagem…

 

 

A estrada entre Povoação e o Nordeste deve ser similar à que conduz ao Paraíso (se ele existir)!

publicado por naterradosplatanos às 18:46 | link do post | comentar | ver comentários (16)
Domingo, 22.07.12

E por aí... somos turistas, mas não turistas americanos, ingleses ou nórdicos!

 

É isso mesmo, aterrados nesta ilha azul e verde, logo ali no aeroporto vimos que fazia toda a diferença!

 

Como de costume reservamos um automóvel para passearmos a ilha… e como é óbvio, a 1ª coisa foi ir levanta-lo o que, diga-se, demorou algum tempo.

Um só balcão, com um só empregado a operar várias companhias… assinada a papelada inerente, recebemos a chave e vá, tratem de descobrir no parque um Ford preto com o nº tal.

Percorrendo uma das fila lá encontramos o dito Ford Fiesta preto… verificamos o ano na chapa da matrícula, 2006! Isto num carro que passa por centenas de mãos é já um “chaço velho” e era! Abrimos a porta… igualmente super gasto, olhamos os pneus, também demasiado uso! Não obstante ao lado havia-os de 2011 e constatamos que uns sortudos (alemães) que estavam a trás de nós na bicha, lhes tinha calhado um desse ano!

Não, não íamos ficar com aquele! A troca fez-se sem qualquer reclamação da outra parte e na mão trouxemos a chave de um Renault Modus, 2008 mas em melhor estado e com pneus novos, pese também o desgaste interior e os 39 mil quilómetros que tinha!

 

Chegados ao Hotel **** em frente à Marina, onde tínhamos reservado um quarto com vista para o mar, de novo voltamos a constatar que não, que não  eramos “amaricanos”, nem ingleses nem nórdicos! Na receção, tramites do costume concluídos, cartão magnético na mão…quarto 108!!! 

Imediatamente pensei que um 1º andar não teria grande vista para o mar, e a vista para o mar tinha sido já paga! Não me enganei e além de ser no 1º andar, dava para a enorme pala que o hotel tinha sobre a entrada!! A vista? O cimento da pala, o asfalto da Avenida Marginal… ao longe o molhe do cais!

Não, não gostamos do quarto e apresentamos os motivos… hesitação de quem recebeu a queixa e que entretanto“vasculha” no computador dizendo que o hotel está cheio. Mas nós não gostamos! Afinal há um no 4ºpiso mas só depois das 14h! Tudo bem, saímos para a cidade… almoçamos e às 14 lá estávamos de regresso.

Afinal o quarto é agora o nº 328, logo 3ºpiso, ótimo! Subimos, a vista é excelente e o quarto muito bom.

 

Em tom de desabafo eu repito: somos turistas, mas não somos turistas americanos, ingleses nem nórdicos… e está tudo dito!

publicado por naterradosplatanos às 17:44 | link do post | comentar | ver comentários (4)
Quinta-feira, 19.07.12

Do Areeiro... e uma estrela da sorte tocou as suas cabeças...

 

Podia ser este o começo de uma história infantil, mas não é
e ao mesmo tempo é! Confuso? Vejamos:

A fotografia que se segue foi-me enviada pela minha filha
mas que certamente não foi tirada pelo Jorge pois não tem grande qualidade e
ele é um exímio fotógrafo! Mas para o caso também não interessa…

 

 

 

A 7 destas crianças, tal como na suposta história, uma
estrelinha da sorte tocou as suas cabeças!

Não, não foi nenhuma fada madrinha mas sim um pai e uma mãe,
melhor três pais e três mães que, tal como fosse da maternidade, trouxeram para
suas casas estas sete crianças… A partir desse dia eles (os pais) passaram a
chamar-lhes os nossos filhos!

Duas destas crianças, sorridentes e felizes (mesmo que o não vejamos
na fotografia), são dois dos meus cinco netos, o N com 12 e a D com
quase 5!

 

Se…se…se…, o Mundo seria muito, muito melhor!

 

publicado por naterradosplatanos às 23:41 | link do post | comentar | ver comentários (6)
Quarta-feira, 18.07.12

No Areeiro... Mandela Day

 

 

 

O meu blog, como já tenho dito, é um blog  de faits divers e poucas vezes trata coisa sérias ( já os há qb. por aí a, melhor ou pior, darem conta destes assuntos).

 

Porém, ainda não eram 8 da manhã, a caminho de tomarmos a
nossa bica matinal ouvi que hoje, 18 de Julho, era o dia de Nelson Mandela, instituído pelas Nações Unidas.

 

Acho que muito poucos dos que conhecem, mesmo que apenas parte da sua história de vida, não
concordem que, mais que qualquer outro, mereça que o Mundo lhe renda desta forma a sua homenagem.

 

Desde há muito que, quando li numa revista, daquelas que perguntam, a alguém mediático, isto e aquilo, e em que uma das perguntas era “ que personagem mais e menos admira e porquê” eu ficasse a pensar no que responderia…

 

Sim, eu responderia: Nelson Mandela! Porquê? Pela sua tolerância, pela sua luta pacífica (depois de 19 anos no cárcere) que permitiu
que um povo aprendesse a viver nessa tolerância depois de anos de feroz “apartheid”!

 

E quem eu mais detestava? Sim, Mikael Jackson. Porquê? Simplesmente porque ele negou a sua raça, aquela que Mandela sempre defendeu, e que a todo o custo quis tornar-se BRANCO!

 

Hoje Mandela faz 94 anos!

publicado por naterradosplatanos às 08:41 | link do post | comentar | ver comentários (9)
Sábado, 14.07.12

No Areeiro… a primeira colheita fotogénica

 

No Areeiro… a primeira colheita fotogénica

 

Hoje fiz a primeira colheita a que chamo fotogénica porque
já colhi feijão verde mas, este é tão desinteressante que não mereceu
fotografia. Vejamos se os de “origem canadiana” dão aquelas vagens de 60 ou 70
cm  como o ano passado e então mostrá-los-ei.

 

Agora estes mini tomates são de ver! Impecáveis, duros e
brilhantes, mas longe de serem todos iguais em tamanho e iguais em coloração.

Fica esclarecido que não tiveram nenhum tratamento, logo são ”biológicos” ou
serão “orgânicos”? Quem souber a diferença que ma explique!

 

 

p.s. a caixa andava cá por casa, era de morangos, comprados, claro!

 

 

publicado por naterradosplatanos às 19:04 | link do post | comentar | ver comentários (14)
Quinta-feira, 12.07.12

No Areeiro… as “estrelas” da minha horta

 

 

 

                                                                 

Estive uns dias fora e parece que é nessas alturas que, longe dos olhares insistentes da dona, as coisa              parecem crescer! Logo que chego dentro da garagem o que quase invariavelmente digo ao meu condutor é: vou lá fora! Este ir lá fora corresponde a ir ver o que aconteceu na minha ausência.

 

Desta vez a surpresa foi o vaso onde pus quatro tomateiros que além de ter muitos estão agora a ficar vermelhos. São de qualidade mini o que os torna perfeitos para salada, mas como estas duas almas não lhe dão consumo suficiente e eles não se aguentam muito tempo, o destino é o congelador e depois durante o inverno a panela!

 

Soube há dias que os tomates que aparecem nos supermercados exatamente no mesmo ponto de maturação são tratados, dias antes da colheita, com uma qualquer substancia que os põe todos exatamente na mesma cor vermelha!

Portanto há que escolher da caixa onde há vermelhos, menos vermelhos e até verdes!

 

 

 

Outra surpresa foram os Phisalys que este ano estão carregadinhos e com frutos grandes como podem ver. 

   

Até parecem rebuçados de ovos!

 

 

 

 Há, como sabem, mais coisas plantadas mas estou à espera que sejam dignas de ser mencionadas neste blog.

publicado por naterradosplatanos às 13:52 | link do post | comentar | ver comentários (6)
Domingo, 08.07.12

E por aqui(Lx) ... que melhor utilização para uma escultura moderna?

 

 

Ontem foi a vez dos meus netos pequenos levarem a avó, não a
nenhum filme 3D mas a correr atrás dos patos e das pombas do Jardim da
Gulbenkian!

 

É sempre muito divertido, sobre tudo quando se trata de dar
de comer aos patos e patinhos, aos cágados e aos “peixões” como o Hq lhes
chama! A sacada de pão seco e cortado aos bocadinhos nunca é suficiente para os
satisfazer, e este “os” refere-se aos meus netos pois, a pesar da quantidade que
a avó leva, é sempre uma desilusão quando se acaba. O meu argumento é sempre o
mesmo, acabou-se, paciência, para a próxima vez temos que trazer todo o pão que há na padaria ao lado da vossa casa! Eles acenam com a cabeça e na sua ingenuidade, dizem que sim!!

 

Depois deste ritual há as corridas nos relvados e o esconde,
esconde nos recantos e eu sempre com medo de os perder de vista! Ora
precisamente num desses recantos havia (há) uma escultura e como por enquanto
os meus netos são como a avó, que não percebe nada de arte moderna, acharam que
o melhor que podiam fazer dela era dar-lhe um uso prático! E que uso foi esse?

 

Fazer dela um excelente escorrega!!

 

 Ora vejam…

 

 

 

Perguntando ao Hq o que achava que era "aquilo" sem exitar disse-me que era um dente de elefante!

publicado por naterradosplatanos às 18:40 | link do post | comentar | ver comentários (4)

mais sobre mim

pesquisar neste blog

 

Julho 2012

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
15
16
17
20
21
25
28
29
30
31

posts recentes

últ. comentários

Posts mais comentados

arquivos

tags

subscrever feeds

blogs SAPO