Quarta-feira, 31.10.12

Babysitting…

 

 

Até domingo estarei nesta função de avó e por isso provavelmente não terei vagar para este meu passatempo…

Até lá!

publicado por naterradosplatanos às 21:23 | link do post | comentar
Terça-feira, 30.10.12

A "fall" no Areeiro

 

 

 

O Outono instalou-se e claro que sem o esplendor do Quebec ou do Vermont* (aqueles que eu tive o privilégio de viver) pois aqui a densidade e variedade de árvores de folha caduca é bem menor. Todavia se prestarmos um pouco mais de atenção também nos poderemos maravilhar aqui e ali na berma das estradas ou ao longo de uma ou outra rua.

 

Eu também tenho a “minha "fall” aqui no Areeiro! O “esplendor “ dela é-me dada pelo meu diospireiro e romãzeira, o primeiro de folhas já bem vermelhas e a segunda a ficar agora amarela. O limoeiro ao lado compõe o ramalhete… amarelo, vermelho e verde nuns seis metros quadrados configuram-na e claro trazem-me saudades dos meus passeios no Monte Royal!

 

Mas aproveitar, sentir-se feliz com o que se tem é algo que se treina e é isso que procuro fazer!

 

*http://naterradosplatanos.blogs.sapo.pt/2010/10/10/ ).

 

 

 

Aqui está a "minha fall"...

 

 

 

 

 

 

publicado por naterradosplatanos às 18:17 | link do post | comentar | ver comentários (5)
Sábado, 27.10.12

Novo reencontro...

 

 

 

“Encontrei-a” em conversa com a Sandra, (minha aluna que agora é notária aqui na cidade), em frente a uma “bica”. Como é costume relembraram-se os bancos da escola, as aulas de Geografia, e os outros colegas. É então que a Sandra me pergunta se me lembrava da Ana Tecedeiro. Claro que me lembrava dos seus olhinhos vivos e do cuidado que punha no nosso Caderno de Trabalhos Práticos, (já que há muito  o caderno diário tinha desaparecido das minhas aulas e isto na verdadeira acepção da palavra).  

Fiquei entusiasmada com a possibilidade de a encontrar e um email enviado com resposta pronta permitiu mais um reencontro.

 

Estou muito feliz com estes os reencontros de há uns tempos para cá com algumas das  minhas alunas… todas elas conservam ainda a carinha de adolescente que eu conheci, não obstantes já terem uma vida profissional e algumas já serem mães.

 

Assim a Ana Tecedeiro foi a última que encontrei.

Quando foi minha aluna teria os seus 13,14 anos, cabelinho curto e escuro e pele muito branca. Era uma muito boa aluna e tinha o caderno absolutamente exemplar, o jeito era inato como se veio a verificar pela sua carreira académica.

 

Reencontrei-a anteontem no seu atelier, para onde se mudou há pouco tempo o que justificava que as suas obras ainda estivessem encostadas à parede e ainda muito por desempacotar.

A cara é a mesma, os olhos vivos não mudaram em nada, só na altura está diferente e se antes, eu tinha que olhar para baixo, agora, oh meu Deus! tenho que olhar bem para cima e ela baixar-se para me abraçar!

 

A sua paixão era mesmo a escultura o que muito preocupava a mãe, consciente  das dificuldades que no futuro iria ter. Porém o seu gosto levou-a mesmo ao curso de escultura na Faculdade de Belas Artes de Lisboa…

As meninas crescem e ela cresceu também e tomou consciência das preocupações da mãe e daí a mudança para o curso de pintura.

.

Hoje tem o seu atelier e embora os tempos não sejam fáceis ela tem tido sucesso o que é demonstrado pelas exposições em que participa e pela presença da sua obra em algumas galerias.

 

Fiquei feliz por reencontra-la e tive a certeza, pelo abraço que me deu, que também ela gostou de reencontrar a sua professora de Geografia de um já longínquo 9ºano!

 

Com o seu consentimento aqui vos deixo duas das suas obras:

 

 

 

 

 

publicado por naterradosplatanos às 18:06 | link do post | comentar | ver comentários (6)
Sexta-feira, 26.10.12

No Areeiro... tempo de castanhas

 

   

 

 

 

Por esta altura no Canadá está-se no tempo das abóboras, de ir colhe-las e fazer tudo o que é possível com elas. Aqui fica para quem quiser saber mais.

 

http://naterradosplatanos.blogs.sapo.pt/2010/10/02/

 

Bom, aqui é o tempo das castanhas e sublinho isto porque o meu castanheiro, plantado no Março passado, isto é há oito meses, já deu dois ouriços e duas castanhas, por sinal muito saborosas!

Antigamente os castanheiros demoravam a produzir 10 anos ou mais, agora é assim…rápido! Venham cá dizer-me mal dos “geneticamente modificados”! Este custou-me os olhos da cara, 20€, porque vindo da França, segundo o dono do horto que mo vendeu, não podia custar menos, mas acho que a precocidade do mesmo valeu apena!

 

 

Ora vejam

 

 

 

publicado por naterradosplatanos às 13:51 | link do post | comentar | ver comentários (13)
Segunda-feira, 22.10.12

Para a minha neta Raquel!

 

 

Hoje  faz anos a minha querida neta Raquel… que dizer de uma boneca nascida há 13 anos?

 

Dizer que é uma adolescente serena, elegante, intelectual, adora visitar museus e é uma ótima conversadora… porém continua como o ano passado pensando que há coisas mais importantes e motivadoras do que ter o quarto arrumado!

 

Também gosta de versejar e fá-lo com qualidade. Também agora tem em mãos um “romance” mas que só ela e a Lena, minha irmã, sabem o enredo!

Como a fotografia o atesta, a sua paixão continua a ser a leitura e vá para onde vá lá vai um livro com ela. Propus-lhe oferecer um e-book mas disse-me que não, porque para ela também faz parte do prazer de ler, admirar a capa, ler a contracapa e as badanas, olhar-lhe a espessura e até dobrar-lhe as folhas para marcar a página…

 

Parabéns minha querida, que tenhas uma vida feliz e já agora… para tranquilidade da tua mamã, um pouco mais arrumadinha!

publicado por naterradosplatanos às 18:41 | link do post | comentar | ver comentários (7)
Quarta-feira, 17.10.12

No Areeiro... no 1ºdia de chuva

 

 

Por aqui pouco se passa e por isso é difícil achar assunto de jeito!

 

Hoje só posso dizer que começou a chover o que inviabilizou os trabalhos de preparação do meu jardim para o inverno. Mas a chuva é, como todos sabemos, precisa e até acho que a maioria de nós  a desejava.

 

Hoje voltei a sentir aquele momento de felicidade que há bastante tempo  falei… sentir a chuva lá em cima é para mim uma melodia que  podem ouvir aqui:

 

(ponham o som alto para melhor ouvirem o que para mim é uma “melodia”, e alguns saberão porquê)

 

 

 

 

 

 

 

publicado por naterradosplatanos às 21:31 | link do post | comentar | ver comentários (10)
Segunda-feira, 15.10.12

E por aí... passeando em Zurique

 

 

 

Nunca tinha estado em Zurique e de certo modo este facto foi motivo da nossa decisão para esta escapadela de 6 dias.

 

A cidade é desinteressante, cinzenta e se excetuarmos a a zona antiga “Old Town”, ruas de edifícios cinzentos, janelas quadrangulares e acusando algum tempo sem pintura! Também os “grafittis estão presentes em muitas paredes da cidade...

 

A cidade não tem nada de carismático, não tem verdadeiramente monumentos, excetuem-se duas ou três igrejas de interiores pobres.

Não tem sequer uma praça digna desse nome e já nem se pedia que fosse um Terreiro do Paço, ou a similar a esta em Trieste, ou ainda uma Trafalgar Square,  não se pedindo sequer que fosse uma  Praça da Concórdia! 

Sim, realmente não tem nada que possa ter esse nome embora na planta da cidade haja exíguos largos com o nome de Platz e que na realidade são meros cruzamentos de ruas.

Também as flores, como é costume debruçarem-se das janelas nas pequenas cidades, aqui não existem, as árvores e os arbustos estavam mal cuidados se excetuarmos as do parque que fica mais longe do centro e onde fomos esta manhã. Este situa-se ao longo do lago e é este Lago de Zurique que eventualmente pode dar um mínimo de graça à cidade!

 

Dizia eu que as ruas são feias, não só pelos edifícios como também pelos próprios passeios a que podemos acrescentar o facto de, olhando para cima, nos sentirmos como no meio de teias de aranha!

Eu explico. Aqui todo o transporte público é elétrico, tramways (nossos electricos) e tróleis como os que conhecemos no Porto. Logo a fonte de energia está nos cabos que para maior estabilidade estão presos em postes ou nas fachadas das casas, num emaranhado de fios que dá às ruas um ar desarrumado.

Claro que ambientalmente isto é muito positivo pois o ar não é sobrecarregado com os fumos dos escapes. Há também que dizer que os transportes são rápidos, confortáveis e absolutamente pontuais, uma vez que têm faixas só para eles.

São as duas faces da moeda e os suíços escolheram a menos bonita mas a mais saudável!

 

Posto isto ainda quero dizer que pelo que me foi dado observar, e eu faço-o conscientemente, a  emigração como sabemos, aqui também tem expressão. Porém é essencialmente branca, no entanto dei por bastantes indianos, outos de pele escura e cabelos lisos que eu associo a gente vinda do “corno de África”. Negros subsarianos vi muito poucos e apenas duas muçulmanas, já que traziam as cabeças cobertas à sua maneira…

 

Claro que dois dias podem ser pouco para fazer juízos mas, mais uma vez eu pude ver o que quis e não aquilo que mostram normalmente aos turistas!

 

Estou a escrever este post no avião, devemos chegar pelas 20.30 e amanhã o Areeiro espera por mim…

 

 

"Old Town"

 

 

 

 

 

 

Para lá da "Old Town" as ruas são assim!

 

 

 

publicado por naterradosplatanos às 20:22 | link do post | comentar | ver comentários (4)
Domingo, 14.10.12

A caixinha de música

 

 

 

Hoje faz anos a minha tia/madrinha melhor a “fada madrinha” da nossa meninice.

 

Já o ano passado lhe dediquei um post  http://noareeiroeporai.blogs.sapo.pt/2011/10/14/  e hoje não me queria repetir.

 

Ela hoje faz 89 anos lúcidos, cheios de genica, lutando permanentemente com o seu computador que, segundo ela nem sempre lhe obedece (!!) porém os emails cá me chegam tal com a todos os da sua extensa lista.

 

Porque dei a este post o nome de “caixinha de música”? Precisamente porque uma das suas surpresas foi mesmo esta caixinha que em baixo podem ouvir tocar. Tenho pena que a minha "fada madrinha" difícilmente o possa ouvir...afinal são os 89 anos!

 

 

 

                                        

 

  

   

Eu e a minha irmã devíamos andar entre os 10 e os 12 anos quando um dia chegou uma enorme encomenda vinda de terras de África onde ela era então professora de História e Filosofia...

 

Aberta a encomenda de lá saíram presentes para todos e para nós esta pequena maravilha, na altura reluzente com as pequenas incrustações de madrepérola… hoje como veem, acusa a idade!

Não, não tinha a bailarina, como têm aquelas que hoje encontramos no chinês mas era forrada de veludo vermelho ( hoje já muito desbotado) e com um espelho que passou, desde então a refletir as “ preciosidades” que lhe metíamos dentro.

Durante muitos dias foi aberta vezes sem conta para espreitarmos o mecanismo de tocava aquela música que nos encantava.

 

Hoje essa caixinha, embora fosse minha e da minha irmã, está comigo e é com muita parcimónia e, só debaixo da minha vista, a deixo abrir aos meus netos.

 

Madrinha, que os sonhos que, legitimamente ainda tem, possam ser uma realidade.

Mil beijinhos

publicado por naterradosplatanos às 08:00 | link do post | comentar | ver comentários (5)
Sábado, 13.10.12

E por aí... subida ao Matterhorn

 

 

 

Nos bancos do Liceu aprendi que um dos picos mais altos do Alpes era o Monte Cervino, que por sua vez fazia fronteira entre a Suíça e a Itália. Era a altura em que ninguém andava preocupado com abusar da memória dos meninos e ainda bem. Hoje temos medo de lha gastar e por isso graça uma certa ignorância nas localizações.

 

Continuando: hoje fomos bem perto deste monte que em alemão se chama Matterhorn e que realmente é fascinante.

Tem a forma de uma pirâmide triangular e atinge os 4478 metros e é o que todos conhecem como símbolo da Suíça.

 

Para lá chegar têm que se tomar três teleféricos que atravessam vales e voam por cima de glaciares até atingirem os quase 3000 metros de altitude.

A paisagem é deslumbrante, dos vales profundos cobertos de árvores já de muitos tons de amarelo, passamos ao branco glaciar e lá bem em cima a temperaturas que nos espera é de alguns  graus abaixo de zero!

 

A cabine que lá nos levou ia cheia de aficionados do ski, gente de todas as idades que naquele sítio podem pratica-lo mesmo no verão. Mas também havia turistas como nós que iam para admirar Le Cervin na sua denominação francesa.

 

Como o frio lá em cima era muito descemos para a estação intermédia e então aí pudemos randonner à volta de um lago glaciar onde o pico se espelhava. Lá ao fundo na  sua borda, estava uma japonesa e mais longe um japonês ambos em posição de  meditação perante a montanha ! À nossa passagem percebemos que ela falava, obviamente japonês nós não entendemos, mas pressupomos que se estaria a dirigir ao “espírito da Montanha” e assim continuou por muito mais tempo.

 

Continuamos mais além, mas atrás de um horizonte vem outro e depois deste outro ainda e quantos mais não sei... Os picos são tão altos e tão poderosos que parece estarem logo ali, mas puro engano eles estão lá bem longe inacessíveis ao comum dos mortais.

 

Descemos mais uma estação e aí resolvemo-nos por uma sopa de ovo bem quentinha, um aprazível restaurante no sopé da montanha.

 

 

 

 

 

 

Eis a sopinha quente

 

publicado por naterradosplatanos às 08:55 | link do post | comentar | ver comentários (3)
Sexta-feira, 12.10.12

E por aí... porquê Zermatt?

 

 

 

 

 

 

Por mero acaso lemos um artigo nas Fugas do Público cujo título andava à volta de “os portugueses em Zermatt”. Não imaginávamos sequer onde tal “terrinha” Suíça ficava, mas lendo com atenção percebemos que era em pleno coração dos Alpes, mesmo na fronteira com a Itália.

 

Pensamos de imediato que seria um lugar interessante para um dia ir… tempos depois a TAP fez uma ótima promoção para Zurique e aí vamos nós com destino Zermatt/ Matterhorn ou Monte Cervino.

 

Zermatt é  pequena cidade encravada no fundo de um vale alpino, ela mesma a 1600 e tal metros e onde a par do alemão se ouve falar quase com a mesma frequência o português, tal como o artigo referia!

 

Nesse tal artigo vinham duas entrevista com portuguesas que aqui trabalham  e que se sentiam muito felizes por aqui estarem. Segundo elas, a maioria trabalha em restaurantes e hotéis... e na realidade, quem hoje nos arrumou o quarto foi mesmo uma portuguesa.

 

Também quando fomos tomar a indispensável “bica” na mesa ao lado quatro portugueses discutiam sobre culinária, sobre um tal prato (que eu não percebi qual) que aqui era muito aguado e que o “nosso” diziam eles, era muito melhor. O molhinho era muito mais grosso porque levava muito azeite e muito tomate!

 

Não fosse o tempo limitado de que dispúnhamos ficaria ali a ouvir mais, mas o tempo urgia e saímos para o ar frio que aqui já se faz sentir…

 

 

 

p.s. Aqui ficam algumas fotografias de Zermartt, a atmosfera húmida não permite maior nitidez quando tiradas ao longe.

 

Para cá chegar é assim:

 

 

 

O nosso hotel

 

 

 

 

 

 

 

publicado por naterradosplatanos às 16:28 | link do post | comentar | ver comentários (5)

mais sobre mim

pesquisar neste blog

 

Outubro 2012

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
16
18
19
20
21
23
24
25
28
29

posts recentes

últ. comentários

  • Uma ideia óptima, de facto. Já perdi a conta às ve...
  • Eu gosto imenso dessas esplanadas. Trazem-me, semp...
  • Mundo estranho, o nosso
  • Com as teorias que andam por aí sobre o género, um...
  • No passado, estas esplanadas parisienses, algumas ...
  • gostei e ainda mais que também apreciasbjs continu...
  • My pleasure!! E que fotos bonitas de Estrasburgo.....
  • Fez anos? Parabéns atrasados...Mas verdadeiros!
  • É mesmo abençoada Dalma! Porque o melhor que a vid...
  • Relembrar com a mesma pessoa ao fim de tantos anos...

Posts mais comentados

arquivos

tags

subscrever feeds

blogs SAPO