Terça-feira, 30.04.13

Desenha uma flor...

 

 

Estava na 2ª classe, ainda não tinha feito 8 anos, a Srª D. Maria do Céu, sua professora,  com certeza para lhes aguçar a imaginação, mandou-lhes desenhar uma flor, mas não uma flor qualquer, mas uma flor extraterrestre…

 

E o meu filho, que faz hoje 33 anos, desenhou-a assim:

 

 

 

 

Esta flor andou muito tempo na minha carteira, depois foi para a “arca dos tesouros” onde está o que foi/é  realmente importante para a nossa vida de família… hoje porque me lembrou dela fui procura-la lá.

 

Que a sua imaginação sempre fértil, muitas vezes grande motor dos seus êxitos, associada à grande capacidade de trabalho, se continue a revelar…

 

publicado por naterradosplatanos às 07:00 | link do post | comentar | ver comentários (10)
Domingo, 28.04.13

Todas as... são ridículas

Valeu um político qualquer fazer graça perante os jornalistas para a muitos de nós vir à mente o poema de um dos heterónimos de Fernando Pessoa. 

O Jorge publicou-o no seu blog e de certo modo induziu este meu post.

 

Aqui vai primeiro o poema e depois a reflexão.

 

Todas as cartas de amor

Não seriam cartas de amor se não fossem são

Ridículas.

 

Todas as cartas de amor são Ridículas.

Não seriam cartas de amor se não fossem

Ridículas

 

As cartas de amor, se há amor,

Têm de ser

Ridículas.  

 

Mas, afinal,

Só as criaturas que nunca escreveram

Cartas de amor

É que são

Ridículas 

 

Quem me dera no tempo em que escrevia

Sem dar por isso

Cartas de amor

Ridículas

 

A verdade é que hoje

As minhas memórias

Dessas cartas de amor

É que são

Ridículas.

 

Todas as palavras esdrúxulas,

Como os sentimentos esdrúxulos,

São naturalmente

Ridículas.)

 

 

 Álvaro de Campos, 21/10/1935 

 

 

Tenho um saco cheio delas! De que tamanho é o saco? É um saco de supermercado que está algures num lugar de sótão... Umas, mais de dois anos delas, foram e vieram para e da Guiné-Bissau e destas algumas postas lá na fronteira com o Senegal; outras têm o carimbo da Irlanda do Norte metidas numa qualquer "post box" em Kill Route; outras ainda com selo da Índia embora em menor número... Entre elas algumas serão das que o autor refere mas todas as outras, ao sentimento subjacente estão as preocupações do dia a dia e os projetos de futuro, as gracinhas da filha então nascida...

 

Na altura o computador nem era ainda uma miragem nas nossas vidas... o papel e o envelope, a caneta e o selo e o ir ao marco do correio resumem-se hoje num premir rápido de teclas e um click final! Se assim fosse partes importantes das nossas vidas não estariam ali, num saco plástico, atadas por um cordel... Ter-se-iam sim perdido num qualquer disco rígido de um computador, nesta altura já desmantelado algures numa reciclagem qualquer! 

 

Para que servem elas ali ? Não sei...

publicado por naterradosplatanos às 21:44 | link do post | comentar | ver comentários (7)
Sexta-feira, 26.04.13

O Sr. Mafra tinha razão!

Para quem não sabe, o Sr. Mafra foi o meu "assistente" de jardinagem aí durante uns 20 anos. Alentejano,de olhos azuis como o céu do Alentejo, era analfabeto como grande parte dos da sua idade e a única literacia que possuía era mesmo a de contar o dinheiro e fazer trocos... muitas vezes me dizia que "a caneta que o pai lhe deixara tinha sido a enxada"e é de ver o que isto significa.
Muitas horas passei com ele e, embora com alguma queda para a horta aprendi muito com o que lhe vi fazer. Também muitas vezes com ele discuti os ensinamentos dos livros de agricultura vs o seu saber de experiência feito...

Por várias vezes me disse: a senhora rega de mais, não deve "abesar" *as plantas a muita água, pois assim cada vez pedem mais! E tinha razão.

Hoje lembrei- me dele outra vez quando, lá num canto da minha horta/pomar me dei com este lindo tufo de jarros que, nunca sendo regados hoje me surpreenderam com esta beleza...

*habituar






publicado por naterradosplatanos às 20:16 | link do post | comentar | ver comentários (5)
Quinta-feira, 25.04.13

Artista ou apenas criadora?



A primeira vez que tive notícia da Joana de Vasconcelos estava em Itália, e ela tinha exposto o seu SAPATO na Bienal de Veneza! Eu não fui ver. Não sei quanto tempo depois ela expôs grande parte da sua obra no Museu Berardo e aí sim, fui.
Agora revistei-a no Palácio da Ajuda mas confesso que preferi a primeira, aqui as obras ficam ofuscadas pela decoração e dimensão das salas do palácio que são acanhadas para a dimensão de algumas peças
Gosto do que ela faz, pela imaginação, pela qualidade da execução já que a maior parte das suas peças incorporam muita mão de obra no verdadeiro sentido do conceito. Quem recobre de renda um qualquer animal proveniente da louça das Caldas usa apenas a sua mão onde segura a sua agulha de croché!





O mesmo verificamos nos maravilhosos corações de Viana construídos com milhares de facas e garfos plásticos.




ou os maravilhosos sapatos feitos de panelas e tampas soldados de forma invisível feita por operários soldadores.




A minha irmã visitou o atellier de J.V. onde a artista foi a guia que sintetizou assim a elaboração das suas obras:
A J. V. imagina a obra, faz a sua pesquisa, esta é apresentada à sua enorme equipa. Segue-se todo um trabalho em computador onde se aferem as dimensões, necessidades de matéria prima e outros estudos. Depois é a divisão de tarefas de acordo com a obra em questão : as rendas ou os bordados para as rendeiras e bordadeiras, ou o material metálico ou outro para os mecânicos, soldadores e outros. Tudo isto num estúdio que tem o tamanho de um hangar já que normalmente o tamanho da sua obra assim o exige.

Será a Joana de Vasconcelos uma artista ou apenas uma criadora de arte?
Pergunto- me isto porque por exemplo, um pintor, um escultor pegam no pincel ou no cinzel e concretizam pessoalmente as suas obras. No caso da J.V. ela cria, mas quem executa as suas obras é toda uma mão de obra que faz parte de uma grande equipe numa empresa de que ela é detentora.

Mas que a sua obra é internacionalmente reconhecida é um facto e eu também gosto!

...editando: quem ainda vier a este post por favor leia o comentário que a minha irmã fez que irá complementar o que eu disse.
publicado por naterradosplatanos às 20:37 | link do post | comentar | ver comentários (3)
Segunda-feira, 22.04.13

A Joana de Vasconcelos levou- nos lá...

Apesar dos anos que vivi em Lisboa nunca tinha ido ao Palácio da Ajuda (a minha neta R. já lá foi duas vezes pela mão da minha irmã)! Verdade é que esteve muitos anos fechado e que eu também não sou dada a visitar palácios... imaginem que apesar das inúmeras vezes que fui a Paris nunca fui visitar Versailles! Penso sempre que toda a ostentação/riqueza dos mesmos correspondeu a penúria/ pobreza de muitos . Obviamente que o palácio da Ajuda visto à dimensão de Portugal da época também patenteia os desvarios e desmandos da nossa realeza: mobiliário francês, baixelas e vidros da Saxónia, tapeçarias Goblin... Tudo em compartimentos de paredes forradas a seda onde se suspendem retratos a óleo da família real encomendados a pintores também eles estrangeiros. Que me perdoe alguma/um monárquico/a que me leia mas as realezas eternizam-se, em república os governantes são substituíveis! No próximo post falarei da exposição da Joana de Vasconcelos que foi quem lá nos levou.

publicado por naterradosplatanos às 16:25 | link do post | comentar | ver comentários (4)
Sábado, 20.04.13

Não sei mesmo o que pensar...

 

 

Já tinha planeado do que ia hoje falar aqui quando ao chegar a casa, aqui no Pq Nç, decidi mudar de ideias e escrever sobre o que acabava de presenciar. O Parque nos fins de semana de sol povoa-se de crianças, umas correndo outras ainda presas nos seus carrinhos ou então, enquanto bebés, ao colo dos pais ou avós...

Hoje deparei-me com uma avó que levava ao colo uma menina aí dos seu 8, 9 meses a quem alegre e repetidamente cantava : “ QUEM VEM LÁ, QUEM VEM LÁ, É O MALUCO DO PAPÁ!!!

Quantas vezes esta avó, que designo por ignorante (só a ignorância justifica esta lenga lenga) cantará isto à neta? Mais uns meses e a avó vai ficar embebecida quando a ouvir balbuciar ”o papá é maluco” e enraivecida quando, em vez de 8,9 meses, ela tiver 8 ou 9 anos e  disser “a avó é maluca”! Nessa altura, quem sabe, talvez se queixe aos pais da criança que eles não a sabem educar e não se lembre de quantas vezes lhe cantou a dita lenga-lenga!!

publicado por naterradosplatanos às 15:45 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Quinta-feira, 18.04.13

No Areeiro... Primeira prestação do "imposto" de Primavera!

Com tantos impostos que têm vindo por aí não é de admirar a existência de um imposto de Primavera. Fui hoje pagar a 1ª prestação!

Deixando-me de brincadeiras... esta é a maneira pela qual a minha mãe designa os gastos de florir o seu jardim todas as Primaveras, e eu passei a designa- los exactamente da mesma maneira.
Falo em 1ª prestação porque a 2ª só acontece depois de ver o que ainda falta para cobrir a terra. Às vezes há necessidade de uma 3ª.

Aqui fica o "recibo"da mesma.

publicado por naterradosplatanos às 15:38 | link do post | comentar | ver comentários (3)
Segunda-feira, 15.04.13

Podem ajudar à tradução?

Como disse estamos a planear uma viagem de autocaravana a França e foi por isso que voltamos a pegar nos nossos diários pois seguindo-os metade do trabalho de planeamento está feito!
Agora tenho um pedido a fazer a quem eventualmente me lê, mas especialmente ao Jorge à Cátia e à Rosa dos Ventos. Ao primeiro peço para que me traduza para espanhol e às segundas para francês. Desta vez ainda não é preciso em alemão que no caso recorreria à Lena, já que com o inglês nos entenderíamos nós. Aqui fica pois o pedido para traduzir isto:



já que por experiência nos poupa a muitas buzibadelas!

publicado por naterradosplatanos às 21:14 | link do post | comentar | ver comentários (5)
Domingo, 14.04.13

E por aí... chamaram- lhe "calçadão"!

Há seguramente uns 30 anos que não vínhamos aqui, talvez porque nessa altura ficamos com uma menos boa impressão e nós também não somos muito fãs desta província tão a Sul!
Bom, mas depois de um tão longo inverno de chuva e frio, era aqui que se previam os primeiros dias de sol em pleno e daí decidir- nos descer em latitude. Claro que em 30 anos muito mudou , hoje tem uma marginal empedrada, mas oh meu Deus ,socorro, a câmara chamou- lhe CALÇADÃO !!!




Se achavam que um nome estrangeiro era mais apelativo do que Marginal, ao menos que tivessem escolhido "front beach" ou o melodioso "lungomare" italiano! Agora "calçadão" é de fugir!
Mas é assim na Quarteira!

E assim nalgumas traduções com que nos deparamos...



Será uma nova palavra que ainda não consta dos dicionários que consultei? " funny, very funny"!
publicado por naterradosplatanos às 16:13 | link do post | comentar | ver comentários (6)
Sábado, 13.04.13

Do Areeiro... O meu "saltitão"

Acabo de receber este delicioso desenho do meu neto Rodrigo que tem três anos e meio e que tão bem soube captar as expressões da sua família. O R é o meu neto a quem às vezes chamo de "saltitão" isto porque quando me vai abrir a porta e me vê, salta, salta sem parar e de pura felicidade! O seu sorriso é indescritivamente doce e simultaneamente malandro. Só não o publico aqui por uma questão de privacidade.
Aqui fica o seu desenho:

p
publicado por naterradosplatanos às 09:19 | link do post | comentar | ver comentários (3)

mais sobre mim

pesquisar neste blog

 

Abril 2013

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
16
17
19
21
23
24
27
29

posts recentes

últ. comentários

Posts mais comentados

arquivos

tags

subscrever feeds

blogs SAPO