E por aí… pelo Alentejo profundo até sudoeste

 

 

O destino que nos propúnhamos era exactamente a sudoeste, na Costa Vicentina para os lados de Odemira. Assim antes de deixarmos o Areeiro, ligamos a nossa ”Mariazinha” (nome porque resolvemos chamar o nosso GPS, dada a sua voz feminina) e programamo-la para nos levar pelo caminho mais curto até ao ZMar.

 O caminho mais curto era exactamente a diagonal e como não lhe fizemos mais exigências, “ela” levou-nos por onde bem entendeu, e assim entramos no Alentejo profundo. No princípio fiquei contrariada, mas logo de seguida tudo isso se desvaneceu quando de um lado e de outro da estreita estrada hectares de girassóis cobriam as colinas umas a seguir às outras… depois veio  Alentejo dos chaparros ( nomes que esta gente dá ao que nós chamamos sobreiros), de seguida o nosso “ Yatch” navegou de povoado em povoado, alguns tão pequenos que provavelmente foram montes que foram crescendo ao longo de décadas.

Todos eles imaculados na sua brancura, onde hoje muitas vezes as barras azuis ou amarelas já são substituídas pelas rosas, verdes e até roxas! Todos esses lugares  têm o seu Cafezinho e lá estavam os velhotes sentados aqui e ali, provavelmente comentando a vida e quem sabe, os estranhos que por eles passam…

 

Chegados ao mar é a surpresa, não propriamente das maravilhosas arribas e da água cor de esmeralda, mas pelo que encontrei e que em princípio não seria suposto pois sempre pensei que elas preferiam as planuras lavradas. Mas estas não, elas encontraram ali um melhor lugar para construírem aqueles “condomínios” com vista para o mar!

 

 Vejam as últimas fotografias

 

 

 

 

Vejam só que lindas!

 

 

 

 

 

 

publicado por naterradosplatanos às 21:49 | link do post | comentar