E por aí... passeando em Zurique

 

 

 

Nunca tinha estado em Zurique e de certo modo este facto foi motivo da nossa decisão para esta escapadela de 6 dias.

 

A cidade é desinteressante, cinzenta e se excetuarmos a a zona antiga “Old Town”, ruas de edifícios cinzentos, janelas quadrangulares e acusando algum tempo sem pintura! Também os “grafittis estão presentes em muitas paredes da cidade...

 

A cidade não tem nada de carismático, não tem verdadeiramente monumentos, excetuem-se duas ou três igrejas de interiores pobres.

Não tem sequer uma praça digna desse nome e já nem se pedia que fosse um Terreiro do Paço, ou a similar a esta em Trieste, ou ainda uma Trafalgar Square,  não se pedindo sequer que fosse uma  Praça da Concórdia! 

Sim, realmente não tem nada que possa ter esse nome embora na planta da cidade haja exíguos largos com o nome de Platz e que na realidade são meros cruzamentos de ruas.

Também as flores, como é costume debruçarem-se das janelas nas pequenas cidades, aqui não existem, as árvores e os arbustos estavam mal cuidados se excetuarmos as do parque que fica mais longe do centro e onde fomos esta manhã. Este situa-se ao longo do lago e é este Lago de Zurique que eventualmente pode dar um mínimo de graça à cidade!

 

Dizia eu que as ruas são feias, não só pelos edifícios como também pelos próprios passeios a que podemos acrescentar o facto de, olhando para cima, nos sentirmos como no meio de teias de aranha!

Eu explico. Aqui todo o transporte público é elétrico, tramways (nossos electricos) e tróleis como os que conhecemos no Porto. Logo a fonte de energia está nos cabos que para maior estabilidade estão presos em postes ou nas fachadas das casas, num emaranhado de fios que dá às ruas um ar desarrumado.

Claro que ambientalmente isto é muito positivo pois o ar não é sobrecarregado com os fumos dos escapes. Há também que dizer que os transportes são rápidos, confortáveis e absolutamente pontuais, uma vez que têm faixas só para eles.

São as duas faces da moeda e os suíços escolheram a menos bonita mas a mais saudável!

 

Posto isto ainda quero dizer que pelo que me foi dado observar, e eu faço-o conscientemente, a  emigração como sabemos, aqui também tem expressão. Porém é essencialmente branca, no entanto dei por bastantes indianos, outos de pele escura e cabelos lisos que eu associo a gente vinda do “corno de África”. Negros subsarianos vi muito poucos e apenas duas muçulmanas, já que traziam as cabeças cobertas à sua maneira…

 

Claro que dois dias podem ser pouco para fazer juízos mas, mais uma vez eu pude ver o que quis e não aquilo que mostram normalmente aos turistas!

 

Estou a escrever este post no avião, devemos chegar pelas 20.30 e amanhã o Areeiro espera por mim…

 

 

"Old Town"

 

 

 

 

 

 

Para lá da "Old Town" as ruas são assim!

 

 

 

publicado por naterradosplatanos às 20:22 | link do post | comentar