Novo reencontro...

 

 

 

“Encontrei-a” em conversa com a Sandra, (minha aluna que agora é notária aqui na cidade), em frente a uma “bica”. Como é costume relembraram-se os bancos da escola, as aulas de Geografia, e os outros colegas. É então que a Sandra me pergunta se me lembrava da Ana Tecedeiro. Claro que me lembrava dos seus olhinhos vivos e do cuidado que punha no nosso Caderno de Trabalhos Práticos, (já que há muito  o caderno diário tinha desaparecido das minhas aulas e isto na verdadeira acepção da palavra).  

Fiquei entusiasmada com a possibilidade de a encontrar e um email enviado com resposta pronta permitiu mais um reencontro.

 

Estou muito feliz com estes os reencontros de há uns tempos para cá com algumas das  minhas alunas… todas elas conservam ainda a carinha de adolescente que eu conheci, não obstantes já terem uma vida profissional e algumas já serem mães.

 

Assim a Ana Tecedeiro foi a última que encontrei.

Quando foi minha aluna teria os seus 13,14 anos, cabelinho curto e escuro e pele muito branca. Era uma muito boa aluna e tinha o caderno absolutamente exemplar, o jeito era inato como se veio a verificar pela sua carreira académica.

 

Reencontrei-a anteontem no seu atelier, para onde se mudou há pouco tempo o que justificava que as suas obras ainda estivessem encostadas à parede e ainda muito por desempacotar.

A cara é a mesma, os olhos vivos não mudaram em nada, só na altura está diferente e se antes, eu tinha que olhar para baixo, agora, oh meu Deus! tenho que olhar bem para cima e ela baixar-se para me abraçar!

 

A sua paixão era mesmo a escultura o que muito preocupava a mãe, consciente  das dificuldades que no futuro iria ter. Porém o seu gosto levou-a mesmo ao curso de escultura na Faculdade de Belas Artes de Lisboa…

As meninas crescem e ela cresceu também e tomou consciência das preocupações da mãe e daí a mudança para o curso de pintura.

.

Hoje tem o seu atelier e embora os tempos não sejam fáceis ela tem tido sucesso o que é demonstrado pelas exposições em que participa e pela presença da sua obra em algumas galerias.

 

Fiquei feliz por reencontra-la e tive a certeza, pelo abraço que me deu, que também ela gostou de reencontrar a sua professora de Geografia de um já longínquo 9ºano!

 

Com o seu consentimento aqui vos deixo duas das suas obras:

 

 

 

 

 

publicado por naterradosplatanos às 18:06 | link do post | comentar