Voando no interior da América...

O avião, tal como o automóvel até ao florescimento da aviação é o transporte mais vulgar para estas gentes. Com as dimensões continentais e premência de se chegar não poderia ser de outra forma.
Com milhões de pessoas a entrar e a sair tudo tem que ser de forma a nunca o fluxo parar.Como a segurança tem a prioridade não há facilidades: tirar cintos, moedas dos bolsos, despir os casacos é rotina nos nossos voos europeus... aqui acresces o tirar os sapatos e entrar numa daquelas cápsulas que parecem as de teletransportar nos filmes de ficção! Colocar os pés sobre umas pegadas pintadas no chão, levantar os braços, esperar o fechar e abrir de uma porta giratória... Nada a assinalar, podes sair!
Lembro-me da polémica de quando foram introduzidas. As alegações contra, prendiam-se com o facto do funcionário à frente do ecrã nos ver virtualmente nus! Eu, hoje depois de passar fiz-me atrasada para ver se era mesmo assim. Não, na realidade a imagem já não é pública e o ecrã só eventualmente assinalará se o "guy" trouxer consigo algo suspeito, mas sem nunca se ver a figura. Depois desta melhoria as polémicas devem ter acabado!

Estou a escrever isto no aeroporto à espera do nosso voo para Portland enquanto sucessivas multidões se perfilam em frente das "gates" que os vão sorvendo com destino aos mais variados lugares dos "Sates".

... O avião vai absolutamente cheio, restaram dois lugares na primeira classe. Nós nem sequer conseguimos lugar juntos e coube-nos o lugar do meio. No meu caso nem foi muito mau, há direita tenho uma jovem que ainda não largou o livro que trazia, à esquerda é menos bom, tenho uma americana tamanho XXL!
Quanto às assistentes de bordo, meu Deus, uma já há muito que deve ter ultrapassado os 60 e a outra pesa de certeza mais de 100kg! Com dificuldade cabe entre as coxias! Nós portugueses que sempre nos habituamos às elegantes hospedeiras da TAP estranhamos...

Nestes voos, tipo viagem de autocarro não há "nem café nem laranjada", quando muito podes pedir e pagar (só com cartão de crédito) uma sandwich ou um snack...

O voo demora 4.30, devemos chegar a Portland lá para as 5.30, que serão 1.30 da manhã em Portugal.

p.s À minha frente vai um gigante que mal me deixava ver o écran onde passa um filme do qual nem sei o nome!
publicado por naterradosplatanos às 12:34 | link do post | comentar