Da Alameda ao Rossio...

Quando não tenho pressa desço na Alameda e ponho pés ao caminho Almirante Reis a baixo, sempre pelo lado esquerdo, se bem que não saiba bem porquê. Três quartos de hora depois estou no Rossio. Assim foi ontem logo cedo pela manhã. Sem preocupações fui apreciando quem ia à minha frente ou comigo se cruzava... Um pouco à frente de mim vejo um carro parar, de lá sai um adulto jovem que contorna o carro, abre a porta do outro lado e 'veste' uma mochila cor de rosa! Logo de seguida abre porta de trás e de lá tira uma pequenina que se lhe agarra ao pescoço... reparo então que entra numa porta ali ao lado, possivelmente na casa da avó! Continuo a andar, à minha frente de mochila pendurada num só ombro uma mãe 'arrasta' um pequenito que teima em não lhe acompanhar o passo, mais à frente e num prédio antigo reparo que já uma creche... Continuo despreocupada olhando, sem ver, o que está nas montras... de repente dou por mim a ler este anuncia colocado ao lado de uma das portas que davam para a arcada

 

Li uma segunda vez porque me parecia não ter compreendido, mas não, era isso mesmo: infantário aberto 24 horas por dia! Que profissão terão essas mães que precisam de ali deixar os filhos durante a noite? E depois como é quando os levam para casa e elas precisam de descansar de uma noite de trabalho? Continuarão as crianças no infantário? Refleti sobre isto e fiquei incomodada. Como nós e os filhos fomos felizes por virmos viver para esta pacata cidade alentejana! Primeiro na Praceta, depois no Areeiro onde, apesar de já fora da cidade, não estávamos a mais de mil metros da escola deles, da escola da mãe e do trabalho do pai. Até à hora do almoço estávamos todos juntos!

publicado por naterradosplatanos às 22:00 | link do post | comentar