E por aí... de Östersund a Mora

A viagem de 307 km fez-se entre pinheiros verdes e lagos, paisagem ubíqua nesta parte da Suécia. De quando em vez pequenos lugares ligados à exploração da floresta, uma dúzia de casas sempre pintadas daquele vermelho acastanhado que muita vezes vemos/víamos em imagens de calendários.

Östersund fica num enorme lago e numa das raríssimas vezes que vi algo em inglês, o cartaz dizia: "Östersund always in season" o que significa que em qualquer estação do ano há aqui algo a acontecer, mas é em pleno inverno que o mais importante acontece, já que o lago gela durante meses e eles se orgulham de ter a maior pista de gelo da Europa.
Tão importante é para eles o gelo, que as temperaturas que atingem -20º permitem, que o símbolo da cidade é este:



... um cristal de gelo dentro de um coração!

Mora é uma cópia de Ötersund embora mais pequena. O lago, os relvados e caminhos que o rodeiam, uma ou duas únicas ruas comerciais, nelas os restaurantes, os cafés, as esplanadas tomando conta dos passeios.
A gente passa despreocupada, os velhos segurando os andarilhos rolantes, as mães empurrando os carrinhos de bebés... os outros indo às suas vidas!

Já várias vezes, ao longo destes dias me pus esta pergunta: "mas parece esta gente diferente da nossa gente?" A resposta é NÃO, não parecem!
Mas esta gente é sueca!
Pois é, mas o que nos diferencia é invisível aos nossos olhos, o que nos diferencia, isso sim, só as estatísticas revelam!
tags:
publicado por naterradosplatanos às 18:49 | link do post | comentar