Encruzilhada de estilos e línguas...

Os fenícios e os cartagineses andaram por cá, os romanos seguiram-se, na Idade Média vieram os cristãos da Ordem de Malta, (tiveram dois Grão-mestres portugueses um deles de nome Manoel deu nome a uma pequena ilha fortificada no meio da baía) que derrotaram os otomanos que por aqui também andavam.

O papa de então, em agradecimento por derrotarem o infiel financiou a construção de inúmeras igrejas que ainda perduram e os nomes dos santos batizam, como é evidente, todas elas. Enquanto  a Ordem de Malta pontificou, a ilha foi enriquecida culturalmente o que ainda hoje é patente. Os sicilianos também por aqui exerceram a sua influência e enriqueceram a língua. Depois veio Napoleão que expulsou os Cavaleiros que entretanto tinham perdido importância, posteriormente os franceses foram derrotados pelos ingleses que por aqui estiveram 200 anos com e sem alianças.

Esta ligação teve consequências funestas para os Malteses que, por os seus portos abrigarem a frota inglesa, sofreram maior número de bombardeamentos que qualquer outro lugar da Europa!

O que tinha interesse histórico foi reconstruído a preceito, o resto foi-se reconstruído a si próprio... daí o aspecto pouco ortodoxo de alguns lugares.

 

Depois de tanta história por aqui passar não admira que a língua, o Maltês, reflita também essa influência e que só em 1924 tenha tido direito a Gramática! Progressivamente foi sendo atualizada assimilando palavras do italiano e do inglês que mais tarde, a par do maltês se tornou também língua oficial.

 

Todo esse "caldo" deu isto... que obviamente não sei traduzir, nem sequer adivinhar.

image.jpeg

image.jpeg

tags:
publicado por naterradosplatanos às 19:14 | link do post | comentar