Paris: “pas du glamour”

Talvez seja do tempo, talvez seja dos guindastes, talvez seja das barreiras, das folhas caídas esmagadas pelos que passam apressados... O certo é que senti um Paris feio, sem graça, sem filas para os museus, sem filas para a Torre Eiffel... o que é estranho!

 

A Torre Eiffel está agora rodeada em todo o perímetro, por barreiras que nos impedem de passar por baixo, em direção ao Trocadero que lá está, num amarelo desbotado e estatuetas enegrecidas...

 

Os Boulevardes, mesmo os mais carismáticos, não são exceção nesta feiura, antes pelo contrário, acentuam-na: caixotes de lixo que pela manhã ainda transbordam para os passeios; sem-abrigo estendidos pelo chão onde passaram a noite, romenas que pela manhã encontraram o lugar certo para estender a mão, gente nova de pele escura, encosta-se às paredes com um olhar sem esperança... isto debaixo de uma carapaça cinzenta que é o céu, torna a cidade deprimente...

 

 

9FDE4105-A65E-4DCC-B747-FDFF58F7D65B.jpeg

37199464-94B5-4D06-9493-A1887BECFBBD.jpeg

 

tags:
publicado por naterradosplatanos às 08:44 | link do post | comentar