Rijeka

380km andados debaixo de forte chuva parecia ser um mau prenúncio para visitar Rijeka, conformados no entanto tendo em conta que desde que saímos de Lisboa, frio sim, mas nunca chuva!

Porém, a poucos quilómetros o sol abriu e a tarde ficou soalheira e amena...

 

Rijeka é exatamente como vinha descrita no Guia turístico (o que nem sempre acontece). Dizia o Guia:  a maioria das pessoas que aqui chega passa em corrida para os barcos que as levam às ilhas mas os que ficam, descobrem nela charme e cultura...

 

Também Rijeka sofreu todas as vicissitudes da história de todo o litoral adriático, com a diferença de que aqui a jurisdição Húngara foi muito mais longa e portanto deixou-lhe a beleza do seu estilo e... o que é bonito hoje em Rijeka vem-lhe desses tempos.

 

Porém a pressa do moderno fez com que essas joias de arquitetura (que não ficariam mal numa rua de Viena ou Budapeste) estejam paredes meias com aberrações urbanísticas, (nada que não tivesse acontecido em Lisboa nos finais dos anos 60 e década de 70 na Avenida da República e Avenida da Liberdade) e que aí continuarão, atrevo-me a dizer, para todo sempre!

 

Certamente, quem tem interferido no urbanismo, já tomou medidas e com certeza que muitos fundos comunitários estão a ajudar a preservar esses edifícios únicos.

 

Aqui fica a prova de algumas dessas aberrações:

image.jpeg

image.jpeg

image.jpeg

 image.jpeg

 

e os tais que ficariam bem em Viena ou Budapeste

image.jpeg

image.jpeg

image.jpeg

 

 e outros à espera da sua vez:

image.jpeg

 

  e fora do centro é assim:

image.jpeg

m:

tags:
publicado por naterradosplatanos às 19:35 | link do post | comentar