Uma notícia preocupante!

Como sabe quem me lê os meus posts são sempre "light", não falam de política, nem de desporto, de catástrofes ou coisas que aflijam a humanidade, para isso há centenas de blogers que o fazem... assim no "Areeiro e por aí..." só se escrevem,quase sempre, banalidades ou coisas simples como as gracinhas dos netos, notícias da horta e pouco mais.

Porém hoje a meu ver o assunto é sério.

Depois do meu ano de Canadá ficou-me o hábito de ler online os jornais canadianos que então costumávamos comprar e desses passo a outros e outros... Assim há uns dois ou três dias dei com este artigo relativo a uma decisão do governo de Alberta, província canadiana.

Não deixem de ler aqui

 

É em inglês mas merece um esforço para o ler. Eu resumo rapidamente.

As novas diretivas do governo de Alberta determinaram que nas escolas os termos mãe e pai sejam abolidos das comunicações e dos documentos enviados aos pais. Assim pai ou mãe devem ser substituídos por, guardadores, cuidadores, parceiros... também é proibido escrever Sr. ou Srª X ou Y! Quanto á forma de se referir aos alunos está proibido dizer/escrever ele ou ela e estes pronomes pessoais deverão ser substituído por student já que em inglês este serve para os dois géneros!

 

Como a liberdade neste campo (o do género) é total, o indivíduo é do género que entender sem qualquer obrigação de  estar ligado à anatomia do indivíduo.

 

"Self-identification is the sole measure of an individual’s sexual orientation, gender identity or gender expression".

 

Assim sendo quem assumir um sexo que não o que aparenta pode frequentar inclusivamente as instalações sanitárias escolares do outro sexo, e a nota enviada ás escolas não deixa dúvidas: "quem se sentir mal por no duche ao lado não se parecer com ele/ela, é livre de se mudar!

 

sic: A student who objects to sharing a washroom or change-room with a student who is trans or gender-diverse is offered an alternative facility.

 

Mas o melhor é mesmo ler o artigo completo e depois me dirão.

 

O mundo descrito por Aldous Huxley no Admirável Mundo Novo ou no The Giver de Lois Lowry, onde não se nascia de um pai e de uma mãe, parece estar a dar os primeiros passos!

publicado por naterradosplatanos às 17:20 | link do post | comentar