Quarta-feira, 18.07.18

A culpa é do Anticiclone dos Açores...

 

Sim é verdade, (hoje 18 de Julho chuviscava no Areeiro e anunciavam-se 27°!) e quem mo lembrou foi a Raquel, que encontrei ontem no supermercado.

A Raquel foi também minha aluna há muitos anos, hoje mãe de dois. Há muito que não nos encontrávamos mas quando isso acontece ambas o sentimos com muito gosto. Conversamos sobre ela, sobre mim mas, como vai sendo comum nestes dias de “não verão” acabamos por falar do Verão (a maiúscula justifica-se) que não chega mais ao Alentejo! 

Com grande espanto meu por ela ter retido os meus longínquos ensinamentos diz-me: pois professora a culpa  deste verão fresco é do Anticiclone dos Açores que ainda não se estendeu em latitude! 

 

Fiquei admirada de, como tantos anos depois ainda se recordava de semelhante mecanismo meteorológico, pois é exatamente isso que se passa!

 

Cabe pois dizer aqui que a Raquel era uma aluna brilhante!

publicado por naterradosplatanos às 09:29 | link do post | comentar
Quinta-feira, 12.07.18

Ainda devo estar muito nova!!!



Sim, só pode!


Estava eu sentada  em modo de espera, fazendo tempo para a R. chegar quando uma jovem, hoje com 35 anos e se me dirige: Ó professora, lembra-se de mim? Sou a Eliana e foi minha professora no secundário! Eu não me entendia com o Latim e resolvi mudar para Geografia!

P
Nessa altura lembrei-me do caso pois acontecia que a minha colega de Latim era também minha amiga e na altura falamos da mudança...

Isto foi há 18 anos e a Eliana ainda me reconheceu entre a  multidão que ocupava o espaço em que eu esperava.

Pelo que digo que, devo ainda estar muito nova!!!

publicado por naterradosplatanos às 12:22 | link do post | comentar | ver comentários (4)
Domingo, 08.07.18

Ás vezes recebemos notícias tristes...

 

 

Das duas vezes que vivi fora de Portugal fiz sempre amigos, não conhecidos mas amigas/os. Exceptuando a Luísa Antonelli todas/todos são bem mais novos do que eu!

Desde 2005 que mantenho as amizades feitas na Itália e desde 2010 as que fiz em Montreal. O facto de eles, elas e eu estarmos à distância de um e-click, além das visitas que posteriormente já lhes fiz, tem solidificado as nossas amizades.

 

Se somos realmente amigos, alegramo-nos e entristecemo-nos com eles...

Ontem recebi este e-mail do John (que sempre me trata por Maria) e fiquei muito triste...

 

 

Ciao Maria.

I wanted to tell you a few months ago but didn’t because I didn’t want to tell you via email. But now you know.

 

My life changed almost five months ago when I lost Fabrizia.

She was and is everything for me.

I loved her Maria and I had never loved a woman before we met.

The incredible thing is that she loved me.

I was very very lucky.

When I met Fabrizia I was a male and thanks to her I became a man.

She filled our home with her love and her happiness and her energy but now our home is empty.

When I open the door I don’t see her smiling face and can’t kiss her

When I wake up in the morning she isn’t in bed with me.

I don’t make coffee and croissants anymore for breakfast.

 

Fabrizia died in Lisbon. She went there because her dream was to live there by the sea.   She visited Cascais and wanted to visit to the Algarve.

 

I feel very very very lonely Maria.

Life doesn’t have the same flavour.

I visited Venice yesterday and I didn’t enjoy it.

It was hot, crowded, I was tired and fundamentally I missed Fabrizia and I couldn’t see any sense in being in Venice so I left early and came home.

 

So I’m leaving the school on the 26th.

I’m at peace with my decision.

Maria life is beautiful......but fragile

 

John

 

 * A Fabrizia morreu de um AVC quando numa viagem com amigas, a Lisboa.

 

publicado por naterradosplatanos às 15:45 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Sábado, 07.07.18

A Árvore...

 

A árvore de que aqui falo era um pinheiro nórdico... um pinheiro que veio para casa num vaso, para ser a árvore de Natal desse ano. Eu e a minha irmã já estávamos na Faculdade e foi uma surpresa já que até aí as árvores de Natal eram feitas naqueles pinheiros bravos, mais ou menos desengonçados, que se iam buscar à serra.

O pinheiro serviu nesse Natal e do vaso passou ao jardim... cresceu e ultrapassou-nos, continuou a crescer e chegou quase ao cume do telhado... uma noite de inverno o vento interrompeu aquilo que parecia uma fúria de crescer... uns dias depois a serra mecânica chegou...

 Durante muito tempo a dona do jardim sentiu-lhe a falta e em jeitos de homenagem póstuma fez-lhe um verso que deixou pintado num azulejo. Porém inverno após inverno as letras foram desfalecendo...

 

Hoje recebi a fotografia do seu restauro... uma neta amorosa prestou-se á sua recuperação como podem aqui ver!

 

44ECAEC7-8EF2-40B8-A828-320A252FC33D.jpeg

 

publicado por naterradosplatanos às 20:56 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Quarta-feira, 04.07.18

O Areeiro em azul...

DD850504-475E-4245-990D-6BCAF7A9F325.jpeg

 

0CF3B8A7-6022-469F-ACFD-782D4447FB75.jpeg

6D8794C5-D5ED-40A0-9F3D-A00A6FAF40BB.jpeg

E10C4B62-2A5B-4F14-B4A0-7E7488208898.jpeg

 

... com uns toques de rosa!

 

869E384D-A384-463E-8247-4D363F6B1193.jpeg

 

 

publicado por naterradosplatanos às 21:11 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Domingo, 01.07.18

Como crescem!

Pode ser um lugar comum dizer isto, mas é verdade!

10 anos que passaram tão depressa! 

Esta fotografia foi tirada no dia em que o Henrique fez anos e tanto quanto sei especialmente para a avó já que nunca pública a carinha deles...

 

34BEC643-303B-4ED9-96BE-4E05C8ADC53A.jpeg

 

publicado por naterradosplatanos às 11:41 | link do post | comentar | ver comentários (4)
Sexta-feira, 29.06.18

Chá de tília

 

Passava eu  apressada pois mesmo àquela  hora da manhã já o sol se prometia inclemente quando, um perfume me seguiu  mais além do tronco da  árvore da qual eu não tinha dado conta. Parei e obviamente reconheci o cheiro e a árvore, era uma tília!

As tílias são árvores da minha infância, como podia eu não reconhecer o perfume?

 

Na rua da minha avó havia várias, frondosas, alinhadas ao longo do passeio. Uma delas era tão grande que passava para lá do primeiro andar e só não entrava dentro de casa porque lhe iam cortando a pontas dos ramos!

Por esta altura era vê-la florida e atrevidamente roçar a janela... Com supervisão era-nos permitido  colher algumas flores, sempre num jogo do gato e do rato com as abelhas!

Para nós eram momentos excitantes e das duas ou três mãos cheias de flores exigíamos sempre um chá, ao que a minha avó sempre acedia.

 

Um dia a modernidade chegou e de forma inclemente as tílias foram cortadas para “alargar”a rua... no seu lugar plantaram não sei o quê, só sei que estando lá há uma década continuam raquíticas e sem perfume, claro está!

 

 

 

Esta tília é ainda muito novinha...

61C9263D-31E3-41A9-AEEA-C96F39079AFA.jpeg

 

... mas está cheia de flores... logo de perfume!

6AE800E7-F4B8-478F-A6B9-F80B0D5D6E80.jpeg

 

publicado por naterradosplatanos às 18:17 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Segunda-feira, 25.06.18

Como foi possível?!

 

“Conhecia” Sebastião da Gama como poeta, eventualmente terei lido um poema ou outro mas jamais o associei a um professor, muito menos a um Professor Poeta... o que não é a mesma coisa que Poeta professor!

Há dias recebi pelo correio o “Diário” mas, como estamos longe ainda não tive oportunidade de indagar sobre o motivo da escolha embora a adivinhe, (gentileza dela!).

Provavelmente a maior parte dos que me lêem também não saberá que durante a sua curta vida (morreu com 27anos) Sebastião da Gama foi um professor apaixonado pelo que fazia. No seu “Diário” foi anotando as suas reflexões, muitas vezes e quase em pormenor, esta ou aquela aula que o deixou mais feliz de si mesmo...estratégias para lhes ensinar gramática, a maneira de abordar Os Lusíadas e conseguir o entusiasmo dos seus alunos... também como controlar a rebeldia de alguns e trazê-los ao bom caminho...

Para mim, que fui professora, foi apaixonante a sua leitura e pensei que me teria sido muito útil se o tivesse lido nos meus primeiros anos!

 

Como foi possível que só agora eu o tenha conhecido?

Obrigada Fátima, por mo teres oferecido!

 

EA8FDAA3-BA3E-4359-A424-30975CB212D6.jpeg

 

 

publicado por naterradosplatanos às 16:07 | link do post | comentar | ver comentários (5)
Quinta-feira, 21.06.18

Os chapéus de palha de Williamsburg

 

89FE3C69-B2AA-4DD6-B2E1-55D1ED142D30.jpeg

 

 

Tirei esta fotografia em Williamsburg, na Virgínia em Maio de 2015, num dos nossos “ e por aí...”. Tirei-a não só porque achei a imagem bonita mas porque pensei que seria uma boa ilustração para o post sobre o Solstício de Verão que então se avizinhava. O facto é que a esqueci entre as muitas e só hoje me lembrei de novo dela.

Sim, hoje é o dia do Solstício de Verão e este post será publicado exatamente no momento em que o Sol atingirá o ponto mais alto da Esfera Celeste, portanto às 11h e 07m.

 

O Verão está pois aí e chapéus precisam-se mas, não se esqueçam que é exatamente hoje que os dias começam a diminuir!

publicado por naterradosplatanos às 11:07 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Segunda-feira, 18.06.18

The season is open!

FEF386CA-3D1D-44D7-9000-1FC8AE44210B.jpeg

 

267FF060-8293-4462-9557-D5CDAF412771.jpeg

 

tags:
publicado por naterradosplatanos às 17:52 | link do post | comentar | ver comentários (4)

mais sobre mim

pesquisar neste blog

 

Julho 2018

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

últ. comentários

  • Obrigada pela partilha! Também só conhecia o lado ...
  • Verdade, continua igual!!
  • Sim, para nós continua na mesma!
  • Se passados tantos anos uma aluna te reconhece num...
  • O Henrique e o Rodrigo são uns meninos encantadore...
  • Um jardim lindíssimo!A Professora sabe que eu ande...
  • Que lindo gesto!!!!!!!!!!!!!!
  • É uma linda carta de amor, apesar de toda a triste...
  • olá DalmaEsse livro conheci-o logo em início de ca...

Posts mais comentados

arquivos

tags

favoritos

subscrever feeds

blogs SAPO