Sábado, 17.11.12

Este post está prometido à M.A.A!

 

 

Quando da entrevista o Lino ( o melhor funcionário da Bayer)  à sacramental pergunta “ do que tem mais saudades de Portugal” ele respondeu sem hesitar : das Boleimas de Portalegre!  A MAA pediu-me para lhe reavivar a memória acerca das mesmas e assim sendo,  aqui vai o link para o post que anteriormente  fiz.

http://noareeiroeporai.blogs.sapo.pt/45100.html

 

e também duas receitas para quem quiser experimentar.

 

Boleimas de Portalegre

 

1º Receita caseira

 

200 g leite
160 g óleo
100 g açúcar
500 g farinha sem fermento
3/4 maçãs (facultativo)
Q.b. de canela e açúcar para polvilhar

Mexer muito bem com as mãos todos os ingredientes e vai-se acrescentando mais farinha (se necessário), até tender.


Dividir a massa em duas partes e estender uma delas numa superfície enfarinhada, com a ajuda de um rolo. 
Colocar a massa estendida no tabuleiro untado e calcar com a ponta dos dedos de forma a ficar bem estendida no fundo do tabuleiro. Polvilhar, generosamente, com açúcar e canela. Cortar as maçãs em fatias finas e colocá-las sobre a massa(facultativo). Polvilhar generosamente com açúcar e canela. Estender a restante massa e colocá-la por cima das maçãs. Calcar ligeiramente com a ponta dos dedos, polvilhar de novo com açúcar e canela e, ainda crú, cortar a massa aos quadrados (tipo doses individuais) e levar ao forno por cerca de 25/30 minutos, ou até ficar douradinha.

 

 

É uma receita facilmente exequível, experimentem, são deliciosas quando acabadas de fazer ou mesmo posteriormente levemente aquecidas no micro-ondas.

 

 

2ª Receita de Padaria

 

250 ml de azeite

3 a 4 maçãs (facultativo)

350 gr farinha p/ polvilhar

400 gr de açúcar amarelo

canela q.b.

Para a massa de pão:

 

750 gr de farinha de trigo

1 colher (café) de sal

25 gr de fermento de padeiro

3 dl de água tépida

 

Confecção:

 

Massa de pão: Dissolva o sal e o fermento de padeiro na água. Junte a farinha de trigo, amasse e bata bem a massa. Faça uma bola, polvilhe-a com farinha e cubra-a com um pano. Deixe levedar em local aquecido, durante cerca de 1 hora.

 

Boleima:

Amasse muito bem a massa de pão com o azeite e com metade do açúcar, polvilhando com farinha para não pegar. Estenda metade da massa (espessura de 2 cm) e polvilhe com farinha. Coloque-a no fundo dum tabuleiro previamente untado com azeite, de forma a ficar todo o fundo coberto e apenas um pouco de massa levantada nas bordas.

 

Sobre a camada de massa, espalhe 80 gr de açúcar e  canela em pó. De seguida, disponha uniformemente as maçãs, descascadas e descaroçadas, cortadas em fatias finas(facultativo) . Acrescente outra camada com as mesmas quantidades de açúcar, canela. Cubra com outra camada de massa igual, unindo-as bem em volta. Polvilhe com o restante açúcar e canela.

 

Com a ponta da faca, divida apenas a camada superior da massa (sem atingir o recheio) em cerca de 30 quadrados/retângulos (aproximadamente de 6 cm x 5 cm). Deixe levedar durante cerca de 1 hora. Leve a cozer em forno quente, durante cerca de 40 a 50 minutos. Verifique a cozedura com um palito: a massa deve ficar corada mas sem queimar. Retire a boleima do forno, deixe arrefecer e acabe de cortar os quadrados pelos golpes que marcou.

 

Espero que pelo menos a MAA experimente uma destas receitas!

 

 

 

 

 

 

 

publicado por naterradosplatanos às 19:03 | link do post | comentar | ver comentários (10)
Sexta-feira, 16.11.12

As romãs do Areeiro

 

 

 

A chuva chegou e foi preciso colhe-las todas! Eram bastantes, mais de duas dúzias, enormes com enormes “rubis” no seu interior.

 

Lembro como quando miúda o fascínio que em nós exerciam mas, as que se vendiam lá por Bragança eram pequenas e os bagos minúsculos comparados com os das minhas, sim porque a mais pequena pesava 410 gramas e as duas maiores respetivamente 710 e 740!

 

A chuva é inimiga da sua conservação pois abre-as e depois ou veem os pássaros, aqueles eternos malandros, ou então o bolor, provocado pela humidade, que destrói todo o interior.

 

Assim sendo colhi-as e tenho-as lá estendidas à maneira de como se fazia antigamente com as maçãs, as peras e as uvas, estas últimas penduradas num sítio seco e assim duravam para lá do Natal!

 

 

 

Aqui  estão elas…

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por naterradosplatanos às 12:30 | link do post | comentar | ver comentários (10)
Segunda-feira, 12.11.12

Correspondência do Areeiro

 

O resort do Areeiro eventualmente também abre fora da “saison”, e foi o que aconteceu este fim de semana. Recebi via mail o que transcrevo e que dá corpo ao meu post de hoje.

 

 

Correspondência do Areeiro (enviado por email):

 

Mais um fim de semana na tranquilidade do campo e sem pressas…Sabe tão bem chegar e deixar a semana à porta!

Ontem depois de acordarmos e tomarmos o pequeno almoço demos um passeio pela cidade e compramos o jornal. Depois de almoço fomos até à festa da castanha em Marvão, estava muito animada, gostei mais do que o ano passado. Havia bandas em vários sítios, cabeçudos e uns animadores de rua engraçados! Ficamos satisfeitos de ver muitos espanhóis de visita e a comprar coisas, ótimo para os locais. O A. encontrou um antigo colega de escola e estiveram à conversa. Compramos castanhas assadas, mas não eram grande coisa e provamos alguns bolos de castanha, deliciosos! Voltamos para casa e estive animadamente na cozinha a experimentar a bimby: fiz mousse de chocolate que ficou ótima; e pão que ficou péssimo (duro porque não cresceu e salgado)...

Passamos o resto do dia na sala à lareira tranquilamente. Hoje acordei e fui à horta :) está sol, mas um vendaval! Apanhei marmelos e uns tomatinhos que ainda por lá havia e umas laranjas. Não sei se já estarão doces.

Agora estou a ler e a beber café com torradas e a assar castanhas aqui ao pé das brasas que ainda duram de ontem. O A. dorme.

Faz-nos sentir muito felizes esta casa, cada detalhe é tão bem pensado, acolhedor…

 

Obrigado. Temos muita sorte!

Feliz São Martinho!

 

Kátia

 

 

 

foto da K.

 

 

 

publicado por naterradosplatanos às 21:52 | link do post | comentar | ver comentários (5)
Terça-feira, 06.11.12

No Areeiro... tempo de fazer marmelada

 

 

No Areeiro…  tempo de fazer marmelada

 

Lá no fundo do jardim tenho um marmeleiro. Ano sim ano não, enche-se de marmelos. O Sr. Mafra que foi meu “assistente” de jardinagem aí durante 20 anos dizia-me que era uma árvore “aneira”!

 

Certo é que mesmo nos anos “não” sempre dá umas duas dúzias deles contrapondo com os anos “sim” que carrega até vergar. Dou marmelos a todos os que querem mas muitos ainda vão enriquecer o meu “compost”. Assim mais uma vez a máxima de Lavoisier nada se perde, nada se cria, tudo se transforma se aplica no meu jardim!

 

Ora havendo marmelos, há marmelada e embora não tenha muito quem ma consuma sempre faço alguma.

Invariavelmente quando estou na função me lembra da minha querida avó, a vovó, como todos os netos a chamavam. Por esta altura a função era complicada: lavar os marmelos, cozer os marmelos, descascar os marmelos, rala-los num ralador, às vezes ainda passa-los por uma peneira e só por fim iam à calda de açúcar, que entretanto se tinha feito. Quando a mistura açúcar e marmelo fazia três ou quatro vezes “flop.., flop” era altura de retirar a panela do lume, dizia a vovó! 

 

Depois era verte-la para as malgas de cerâmica branca. De seguida punha-se-lhe por cima uma rodela de papel vegetal devidamente humedecido com álcool. Então subiam-se para uma prateleira bem alta que havia na varanda e aí ficavam até secar…

 

 Era um dia inteirinho de azáfama e nós, as netas, não perdíamos pitada… Lembro-me ainda que depois de serem postas na tal prateleira da varanda  onde  só a medo lá íamos pois as abelhas e vespas todos os anos descobriam as tigelas de marmelada da minha avó…

 

 Já lá vão quase uns sessenta anos, depois veio o  passe-vite, a “varinha mágica”, o que já era um grande avanço. Hoje, para mim, o  tempo reduziu-se a uns 30/40 minutos! É assim: lavar os  marmelos, corta-los mesmo com casca, juntar outro tanto de açúcar, triturar na Velc.9, marcar 100º de temperatura, marcar 30 minutos, Veloc.1 e já está!  O resultado é o da imagem que antecede o post mas aqui as tijelas são de plástico!

Maravilhosa tecnologia aplicada à cozinha!

publicado por naterradosplatanos às 21:24 | link do post | comentar | ver comentários (14)
Segunda-feira, 05.11.12

Do Areeiro... eu conheci-o

 
 

 
 
O Lino não foi meu aluno mas foi colega da Patrícia do 9º ao 12º ano.
A primeira vez que falei com ele, foi ele que me abordou num corredor lá da Escola. Foi logo nas primeiras semanas.
Passando eu no corredor e claro, conhecendo- me como mãe da Patrícia, pergunta - me de chofre: conhece a professora Patrocínio? Sim, claro que conheço, respondo eu. Sabe, a professora Patrocínio é a melhor professora que eu já tive!
 
Concordei e, logo que a vi, contei-lhe o grande elogio que um aluno lhe tinha feito, como é natural senti-a orgulhosa. Ela era então professora deles em Quimicotecnia e nos anos seguintes foi igualmente a sua professora de Química.
 
Infelizmente a minha colega e grande amiga já há muito que não está entre nós para ter a grande alegria de saber que este seu aluno recebeu o Prémio de Eficiência entre os onze mil e tal funcionários que a Bayer tem espalhados pelo mundo!
 
 
Mais um caso em que uma professora molda o futuro de um dos seus alunos, já que o Lino se formou e doutorou em Química no Instituto Superior Técnico...
 
 
p.s.  No último Expresso vem publicada uma entrevista com ele que, a meu ver, foi feita por alguém muito medíocre pois só contempla perguntas banais e ele merecia alguém à altura do seu estatuto de português de sucesso... no Mundo!

 

 

publicado por naterradosplatanos às 18:44 | link do post | comentar | ver comentários (8)
Sábado, 03.11.12

“ No Areeiro… e por aí” faz hoje “anos”!

 

 

Hoje seria/é o 200º post que escrevo e tal como aconteceu com “Na terra do(s) plátano(s)” acho que devo uma menção especial  de agradecimento a todos os que por aqui passam, não só aos que apenas me leem, mas sobretudo aos que deixam algumas palavras: palavras de incentivo, palavras que me mostram que apreciam o que escrevo, palavras de esclarecimento sobre certos assuntos, palavras de reflexão… enfim até aos que apenas escrevem com o intuito de dizer um simples “passei por aqui”!

 

Espero continuar a encontrar assuntos interessantes para conseguir manter este meu blog de “lazer” como há poucos dias a minha sobrinha Susana dizia, e é precisamente isso que eu quero que ele seja!

 

O enfeite do “bolo” é de minha autoria, mas foi o que se arranjou…

publicado por naterradosplatanos às 14:00 | link do post | comentar | ver comentários (8)

mais sobre mim

pesquisar neste blog

 

Novembro 2012

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
19
21
23
25
26

posts recentes

últ. comentários

Posts mais comentados

arquivos

tags

subscrever feeds

blogs SAPO