Os patins não eram em linha…

 

Na altura não havia ainda patins em linha, nem sequer daqueles que tinham bota acoplada. Tal como os da minha infância eram extensíveis, para servirem muitos anos e o pé era apertado por duas correias sobre os sapatos. Não se usava toda aquela parafernália de hoje: capacetes, luvas, cotoveleiras, joelheiras...

 

Os joelhos e as mãos esmurravam-se mas nada isso tirava o prazer de então rolar nas quatro rodas…

Também quando eu e os meus irmãos eramos miúdos o meu pai nos trouxe do Porto dois pares de patins (nós eramos 4) e assim sendo, como dois pares eram divisíveis por quatro, quando nos zangávamos cada um ficava com o seu até que a zanga nos passasse… hoje rio-me da situação.

Como os meus filhos se levam bastante, cá em casa só houve sempre um par que foi passando de uns para os outros e por isso já sem conflito.

 

A presenteada que na altura tinha 8 anos e que vemos na fotografia, faz agora 42! Os seus filhos já são  da era dos “ em linha”, das cotoveleiras, joelheiras, luvas e capacete!

 

Para ela que foi uma menina, inteligente, responsável e tranquila e que agora é mãe de três desejo como só uma mãe pode desejar, saúde e lucidez para criar os meus três netos nestes tempos que, pelo menos, os mais velhos acham mais conturbados do que aqueles em que criaram os seus próprios filhos.  

publicado por naterradosplatanos às 07:00 | link do post | comentar | ver comentários (9)