Hop-on/off, a solução!

Como disse, em Miami está-se absolutamente dependente do automóvel. É evidente que há transportes públicos, o Metromover que é gratuito e que anda ao nível dos 7º, 10º andares, "furando os arranhacéus" e o Metrorail, também elevado,que vai mais longe mas apenas com uma linha! Claro que há os autocarros mas, para quem está pouco tempo e não conseguiu inteirar-se da rede antes de chegar não são opção a considerar.
Como tudo é longe e mesmo muito longe, ao contrário das cidades europeias, a forma de podermos ficar com uma noção da cidade é mesmo comprar um bilhete Hop-on/off para os autocarros Sightseeing na versão de 48h. Este aqui inclui dois percursos distintos e um passeio de barco na baía. Os percursos podem fazer-se as vezes que quisermos, sairmos e entrarmos nas paragens previstas e assim podemos a ficar a conhecer quase tudo.
Quando cá estivemos há dois anos, ficamos apenas três dias no regresso de uma mais longa viagem e foi pouco, agora ficaremos a conhecer Miami um pouco melhor.

Na realidade ela é uma cidade típica americana que beneficia da graça do seu litoral e das 23 ilhas que se interligam e que abrigam histórias... Depois além dos arranha-céus da downtown há a imensidão dos bairros de casas térreas, algumas consignadas a grupos específicos, a cubanos, a hispânicos de várias origens e claro está os americanos na sua generalidade.

As casas sem muros que as separem, com jardins mais ou menos tratados é assim a restante Miami.

p.s. Este post destina-se essencialmente à Marisa que vai cá vir dentro em breve.





publicado por naterradosplatanos às 23:23 | link do post | comentar | ver comentários (2)