Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

No Areeiro e por aí...

No Areeiro e por aí...

31.01.21

Passar o tempo ou matar o tempo?


naterradosplatanos

 

Tempo é o que não me falta realmente, tempo demasiado, “montes” de tempos mortos nestes dias em que as horas duram vazias...

Arranja  um “hobby” dizem-me, e podia mesmo encontrar dois ou três que me satisfizessem: pintar, ah! e depois que faço às pinturas?; costurar? e que faço eu às costuras?

 

Um dia destes apareceu-me no ecrã um anúncio a um curso de fotografia com iPhone “ iPhone Photography School”*. Depois de ler toda a informação e embora um pouco hesitante resolvi subscrevê-lo.

Tenho estudado as lições que são muito bem feitas, porque muito explícitas  e tenho ido praticando.

De facto não basta ter um iPhone e disparar, é preciso mesmo que alguém nos explique a tirar o melhor partido dele.

*  https://secure.iphonephotographyschool.com/iphone-photo-academy

Aqui ficam algumas feitas com as regras que já aprendi:

 

4FCC2683-B5D8-4931-9530-00C7EBFB02AB.jpeg

A7D52C98-6DB0-4FE7-BD2A-201FEB7EE839.jpeg

A233074A-00B2-469D-9391-26F84DCF8C59.jpeg

5A3114AD-37DC-4DE1-912D-D628769AB623.jpeg

371CE0A4-8986-4048-BD7F-F820708830ED.jpeg

 

 

 

 

23.01.21

Reflexão diária


naterradosplatanos

Quem tiver lido a “Mensagem” de Sebastião da Gama talvez se lembre de como ele aconselhava vivamente a que os professores mantivessem uma espécie de diário da sua actividade docente...

Ora  acontece que a Fátima também incentiva as suas alunas e alunos, futuras/os professoras/professores a terem essa prática em relação às suas aprendizagens, dificuldades, ideias que lhes surgem etc.

 

Ontem enviou-me a REFLEXÃO DIÁRIA de uma das suas alunas... fiquei emocionada!

 

 

REFLEXÃO DIÁRIA

Hoje não consegui deixar de anotar no diário, o facto da Professora Maria “Alda” (não me recordo do seu segundo nome), ter sido professora de Geografia da Professora Fátima Velez de Castro... e que assistiu à aula de hoje, via Zoom.

A professora já uma vez nos tinha falado dela! Acho fascinante esse tipo de relações. Porém no meu caso seria impossível ter uma relação de amizade com um ex professor ou professora do básico, secundário ou até, se calhar, universitário!

Às vezes penso que já não se fazem amizades como antigamente... os meus amigos são sempre temporários, amizades num determinado contexto... se o contexto mudar (secundário/universitário) as amizades também vão mudar.

Fico com um certo “ciúme” das amizades antigas, porque não tenho nenhum amigo ou amiga com mais de 4 anos!!

A forma como a docente fala da sua ex professora é algo incrível... o facto de passearem de vez em quando juntas por Lisboa e não só, deve ser um sinal de reconhecimento por alguém que nos marcou enquanto estudantes.

17.01.21

Lareira


naterradosplatanos

Todos temos sentido o frio que um anticiclone nos traz das latitudes polares e sabemos também que as casas portuguesas nem sempre são bem isoladas...  

As lareiras são bonitas e dão um certo conforto mas não são suficientes para atingirmos os 23º que são próprios da chamada "temperatura de conforto "! Também é verdade que em Lisboa são muito raras estas temperaturas, mas quando acontecem a lareira é quase insuficiente!

DFEEB65D-AA49-4AC3-BA66-1F5600560974.jpeg

 

09.01.21

Nevou no Areeiro!


naterradosplatanos

 

É raro, muito raro... que me lembre, em quarenta e tal anos que aqui estamos deve ter nevado umas três ou quatro vezes. A cidade onde o Areeiro se inclui está a 480 metros na encosta da Serra que no seu topo assinala os 1025... mas não podemos esquecer que estamos numa área mediterrânea  e isso explica a raridade.

A massa de ar frio que se apoderou da Península Ibérica também aqui se sentiu. Pela tarde os flocos começaram a cair mas não suficientemente densos para pintarem o meu jardim.

Na Serra deve ter branqueado o chão mas com certeza que poucos se atreveram a subi-la já que estamos em confinamento!

 

Aqui ficam os registos:

2F86525E-8ECD-4441-9AB3-23F106DAB6E9.jpeg

 

O vídeo aqui:

 

https://youtu.be/Hc1nxcGDZ2A

 

 

05.01.21

Chegou com atraso... mas chegou


naterradosplatanos


Este ano todos os Correios da Europa e possivelmente de muito mais mundo foram sobrecarregados com toneladas adicionais de correspondência. Os Correios belgas chegaram ao ponto de emitirem uma nota pedindo desculpas antecipadas por todos os atrasos que se iriam verificar!
Como este ano as famílias e os amigos não puderam trocar prendas, tal como não puderam trocar abraços, assim os presentes comprados ou não on-line, chegaram-nos na caixa do Correio.

Um dos meus presentes veio da Escócia, chegou quase um mês depois de ter sido enviada pelos meus amigos Sophie e Siamak.

 

Alistair Moffat, através de caminhos perdidos do “ countryside” escocês vai recreando a história deste país e oferece-nos “The Hidden Ways”...

Estou a gostar imenso, as descrições são simples e ao mesmo tempo pormenorizadas e, para quem já atravessou a paisagem dos “Glens”, “Bens” e "Lochs", sente-se dentro da paisagem descrita pelo autor...

 

E10B92BE-6B20-4816-8C10-3363A86E5DDA.jpeg

 

 

0DEDC937-7D96-464E-BD2D-BEC7CE25216C.jpeg

 

04.01.21

Inesperado para mim...


naterradosplatanos

 

Num inquérito proposto pela, penso eu, Porto Editora, a palavra do ano, entre as 10 propostas ( pandemia, confinamento, covid 19...), a eleita foi SAUDADE.  Fiquei admirada pois eu apostaria numa naquelas que nos tem dominado durante esta dezena de meses.

Acontece que SAUDADE se aplica a uma data d e situações: saudades de abraçarmos os filhos, os NETOS em primeiro lugar; ir sem medo tomar um café com as amigas; ir a um qualquer mercado de rua, daqueles com muitas bancas de fruta, de legumes frescos e secos, dos que têm artesanato e velharias, em suma daqueles em que nos atropelávamos  uns aos outros sem qualquer medo... saudades de ir ao cinema, ao teatro, ao concerto a esta ou áquela exposição, saudades ao fim e ao cabo da liberdade de movimentos, seja ali a Estremoz ou ao lado de lá  do Atlântico!

Fui procurar nas minhas fotografias alguma que se ajustasse a SAUDADE, mas não encontrei, o que se compreende já que se trata de um sentimento, algo que não se vê mas que apenas se sente..

 

Encontrei, no entanto, esta definição que se ajusta às minhas saudades.

 

E2A6EBA0-396A-40F2-996B-1322DC04CDF5.jpeg