E por aí... em Marburg

 

 

Há mais de 40 anos acompanhei a minha irmã, então com 18 anos, à estação de Santa Apolónia onde embarcou no Sud Express para uma longa viagem até à cidade universitária de Marburg.

O objectivo era frequentar um curso de verão na Universidade para aprefeiçoar o seu alemão.

Foi pois, quando da decisão autorizada pelos nossos pais, que pela primeira vez ouvi o nome de Marburg! Os anos passaram e Marburg esteve sempre presente dado que há longos anos existe na parede da sua saleta uma fotografia de 180º  que a mostra na sua totalidade, além de uma certa ligação mental de todos nós às amizades que ela fez!

 

Peço à minha irmã, que certamente comentará  este post, que explique bem essa ligação, que pelo menos até agora tem perdurado nas nossas mentes…

 

Assim, decidimos, nesta nossa viagem até à Alemanha, passar por cá e fazer-lhe a surpresa de lhe enviarmos um SMS precisamente em frente ao nº9 do Kirchspitze, onde ela viveu um ano e posteriormente visitou várias vezes…

 

Marburg, é uma cidade muito interessante, 2** no guia Michelin o que na nomenclatura do mesmo significa que vale a viagem. Fica situada na margem ingreme do rio Lahn, afluente do Reno, portanto de ruas ingremes que conduzem a um Castelo residência e que hoje alberga um museu. Igrejas são inúmeras e entre elas conta-se a primeira igreja verdadeiramente gótica construída na Alemanha, Elisabethkirche , dedicada à versão alemã da nossa Rainha Santa Isabel (coincidência até no nome)!

 

A Universidade, conceituada até aos dias de hoje pelo ensino da Medicina, data de 1520 e nela estudaram ou ensinaram nomes famosos, entre eles Papin (quem não se lembra de estudar na Física a marmita de Papin precursora das nossas panelas de pressão?) e o Prémio Nobel da medicina Emil von Behring que descobriu a vacina da difteria, entre muitos outros.

 

Também aqui viveram os irmãos Grim, sim, os que resolveram abandonar a advocacia para se dedicarem à recolha os contos tradicionais alemães que até aí só existiam na tradição oral… Foram eles pois que eternizaram a história do Capuchinho Vermelho, da Bela Adormecida, da Branca de Neve, da Gata Borralheira… e muitas, muitas mais que, graças a eles, povoaram e povoam o imaginário de milhões de crianças entre as quais as crianças que nós fomos…

 

Aqui vão algumas fotografias: 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

  

 

 

Marburg comemora este ano os duzentos anos da publicação da sua primeira recolha de contos e esta fotografia está na casa onde eles viveram.

 

 

 

 

 

 

 

 

O tempo esteve sempre muito húmido, choveu forte por vezes e por isso as fotografias não ficaram luminosas com excepção desta que foi tirada já ao fim da tarde quando o sol abriu!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por naterradosplatanos às 12:00 | link do post