A(s) outra(s) Miami(s)

 

Um dos privilégios de viajar em autogestão é precisamente vermos o que não nos seria mostrado. Assim, para vermos o que não veríamos é meter-mo-nos num transporte público que nos leve à periferia e apreciar o que vai passando aos nossos olhos.

Miami tem um sistema de transportes eficiente e muitos são mesmo grátis... não vou explicar aqui porque o Google explica melhor!

 

Apanhámos o Trolley via Little Havana, os trolleys são grátis e assim uma espécie de autocarros antigos de bancos de madeira que servem por sua vez todas as estações das linhas aéreas que cruzam Miami.


A direção era Norte e portanto passaria em Little Havana, bairro cuja dimensão nada tem a ver com os nossos, já que se estende por milhas.

Aqui é outro mundo, um mundo que contrasta em tudo com o estereótipo que temos de Miami. As casas simples, algumas com aspeto pobre... embora a todas elas lhes tenha sido atribuído um jardim a rodeá-las, esse jardim não o é: a relva ou está seca, ou já não existe! Neles tudo o que parece não servir dentro de casa, acumula-se alí!

Aqui, ao contrário de áreas como Coral Gables, Key Biscayne, North Beach... o comércio é florescente numa mistura de actividades: ao lado da joalharia está a garagem que muda óleo ou pneus, pegada a esta está a frutaria , a loja de brica-bracs, o restaurante de comida ceroula...

Entretanto o trolley chega ao fim da linha, não precisamos de sair... a viagem recomeça no sentido inverso, agora detenho-me em quem entra e quem sai, reparo que nós somos os únicos não hispânicos e que o condutor e os utentes são uma espécie de família alargada - buenos días a todos- diz o velhote que entra apoiado numa bengala e que sairá na paragem mais além para o hospital. Entre eles os passageiros conversam... novo stop e desta vez é o condutor que cumprimenta - buenos días señorita - ela responde com um gracejo fazendo-lhe lembrar a sua carapinha branca...

 

Apesar da extensão do percurso que no ir e vir demorou hora e meia (os trolley andam de vagar e por vias menos rápidas) reparo que o condutor parece conhecer toda a gente e também só a língua espanhola!

 

 

 

71C2C7A9-AA56-44B5-B6D5-16C3B2531684.jpeg

EEA16BAD-8A1E-4B40-9AD8-DCC7883C001D.jpeg

9CAF470A-6CA3-432A-94EF-E99C4F934C09.jpeg

 

Ao fundo os arranha-céus...

D9C79AD4-A92D-4DA6-B816-3C7FC023CD44.jpeg

 

8D18CB30-21FE-4880-A68D-9937EFDC4D9C.jpeg

4663E22E-2356-491B-B069-9D35CE6065AE.jpeg

2FCE49BC-964D-4F14-842B-F2CE962A8F46.jpeg

ADA9CD7F-FF7D-46B3-BC0E-3CD128766A64.jpeg

0749E11B-C186-430D-8DD7-600056AC3D4F.jpeg 

 

A “família” do condutor...

7DE151F7-B319-4459-9ADA-2A0FB1C82EB5.jpeg

F9E686C0-881D-4935-99C1-D73D1B1072E4.jpeg

7B4FFFC7-6564-41DA-8A8B-357D03224149.jpeg

publicado por naterradosplatanos às 16:21 | link do post