Desconfinando “abroad”

Decidimos mesmo desconfinar-mo-nos da cidade, sim da cidade, já que de casa o fomos fazendo ao ritmo que nos permitiram... destino: Astúrias

 

Gijón é uma cidade implantada num sítio privilegiado! Entre enseadas que ladeiam o promontório rochoso (bem, os promontórios são sempre rochosos!), nele se situa o “casco antigo”, (disse a menina do Tourist Office, por de trás da viseira e do lado de lá da caixa de vinil!) De antigo não lhe achei nada pois as casas, algumas de vários andares, têm o ar das de bairro social, construídas sem graça, na época em que a ânsia era deitar abaixo e construir de raiz.  Essa época avassalou os países do sul da Europa e aqui, como em muitas outras cidades, sobraram duas ou três jóias em ruas, da área mais baixa, hoje dedicada a peões e ao comércio.

Aqui fica a prova do que escrevi:

A baia, onde tudo não terá mais de 40 anos! 

9D3870DE-0917-4276-8226-C248DA9FA139.jpeg

Os novos que tomaram conta de edifícios muito provavelmente na mesma traça dos que estão ao lado:

B55838D1-DB06-497D-9657-9CA40CFD2E4E.jpeg

35BB43C8-2A33-4D78-AB71-F34FF1574036.jpeg

70386B77-DF51-472E-A878-CB57DACEF4CC.jpeg

Algumas das jóias que restaram:

825F4B55-3DD3-448B-9206-0370743B4326.jpeg

FDC2A01C-6908-4482-8AB1-DD0AA589380B.jpeg

353B4191-DB52-4CAC-88BA-0B0AC028A818.jpeg

33180285-88E6-4CA5-86B0-71F9138BA4D1.jpeg

 

 

 

 

tags:
publicado por naterradosplatanos às 17:26 | link do post | comentar