Diários da minha “prisão” (preâmbulo)

 

Seria tolo repetir o que toda a gente sabe, isto é, como se comportar, ou então comentar o que se ouve na TV ou lê nos jornais, para ter assunto para o blog.

Assim decidi passar a fazer um diário da ocupação dos meus dias e que, se formos a ver, não serão muito diferente de quando os faço daqui do Areeiro... ou veremos, talvez sejam mais variados.

 

Ponho “prisão” entre aspas porque, na realidade, eu estaria a ser injusta perante tanta gente que se vê confinada a um apartamento!

Portanto a minha”prisão” é uma semi-prisão, sobretudo se o sol brilhar, pois nela terei muito com que me entreter.

 

Quando há dois dias chegámos ao Areeiro, lá estava a ginjeira carregada de “falsas esperanças”, e quando a vi  prometi a mim mesma que ninguém ouviria  de mim  um queixume pela minha situação de prisioneira!

 

Apartir de amanhã vou fazer aqui, diariamente e para memória futura, o que no dia a dia fiz para me entreter.

64758AD4-9C6E-42AB-83C5-037A5E684856.jpeg

598D65B8-D0F6-4B5B-AE28-1CCDF88AA7EE.jpeg

 

publicado por naterradosplatanos às 19:44 | link do post