Dresden, onde quase tudo é novo!

Dresden é uma cidade muito interessante, o que é muito diferente de bonita!

Dresden é fruto de tempos de apogeu, de tempos de guerras várias, da sua destruição quase total em 1945, dos tempos do comunismo, dos tempos que são os de hoje e que começaram com a queda do Muro. Tudo isto se materializou nos edifícios que hoje a tornam interessante!

 

Os séculos 18 e 19 deram-lhe edifícios sumptuosos, a Ópera, Palácios Reais cheios de tesouros , Igrejas e Catedrais de confissões diferentes. 1945 encarregou-se de destruir tudo isto, mas a resiliência de muitos voltou a ergue-los e dos escombros voltaram ao que são hoje. A última reconstrução terminou em 2005, exatamente 70 anos depois de uma bomba ter  deitado por terra a cúpula da igreja protestante... quando as olhamos com atenção vemos no negrume das pedras o que resistiu e o que foi erguido pela vontade de muitos.

 

Depois há o que foi construído á pressa para abrigar os milhares de pessoas sem teto, assim nasceram os bairros comunitários das classes operárias, todos iguais sem vaidades, quero eu dizer só com o essencial: quatro paredes que lhe dão a forma de um paralelepípedo, um telhado e fiadas de janelas sem mais qualquer ornamento. Hoje na Alemanha unificada foram reabilitadas e têm ar de novos embora ainda tenha encontrado algumas a quem os benefícios da unificação não chegou...

 

Nos limites que então eram, em 1945, os da cidade de Dresden, o acaso poupou-os e por isso se vê como a cidade era rica mercê da industrialização: áreas de “villas” em sítios aprazíveis rodeadas de jardins, que então vieram a ser ocupadas pelos altos funcionários do governo e que se mantiveram relativamente bem conservados...

 

São estes três conjuntos, de três arquiteturas tão diferentes que tornam Dresden uma cidade tão interessante!

 

Esta fotografia  mostra bem o contraste entre os tempos recuados fruto de uma época de apogeu e o prático urgente do pós-guerra,

A8903B69-5957-479F-A33D-796BF488E5A0.jpeg

 

 

 

tags:
publicado por naterradosplatanos às 16:07 | link do post