Entre o fantasmagórico e a Subtileza...

Não tenho capacidade de aqui explicar a obra de Zadok Ben David e a única forma que tenho de a descrever é como “ escultura-desenho”!
Esta exposição está patente no museu de Arte Contemporânea Graça Morais (Bragança), daí o título do post: o  fantasmagórico refere-se à pintura dela, a subtileza à obra de Zadok.

Vejamos se consigo explicar de acordo com o que li no folheto de apresentação e no que atentamente vi. O Artista parte das fotografias que tem tirado pelo Mundo, dai passa-as a desenho, de onde fazem apenas parte os contornos e algum traço mais importante. Depois este é passado para uma finíssima placa de metal e esvaziado de tudo o que não é essencial. O resultado é uma “escultura plana e vazia de material”, uma escultura apenas a duas dimensões, altura/ largura já que a espessura pode, tal é a sua finura, considerar-se inexistente, melhor dizendo, é um filigrana de gestos, de expressões, emoções... de um sem fim de personagens de todas as fés, todos os credos, etnias, culturas... de todos os seres humanos que habitam o planeta!

Em suma, a subtileza de um artista!

 

255FBBB4-55AF-46DA-AD0C-8C5CE517D430.jpeg

9551307F-F478-4875-A401-0119F0B9B9E7.jpeg

A34BCD8D-51B9-4767-A019-12ADF40940DF.jpeg

5C551F25-D034-440E-8C4C-31F5F42413DE.jpeg

C0DE4465-68E0-45AD-B616-F214D6B2EF41.jpeg

8877D8F4-4CAE-44A4-9BDA-CA44DC489261.jpeg

 

 

 

 

Nota: pesquisem o nome que vale a pena!

publicado por naterradosplatanos às 11:28 | link do post | comentar