Miami: quantidade de vida vs qualidade de vida

 

Quando falamos de Miami vem-nos á ideia a o ambiente idílico em que as cenas dos filmes decorrem. Sim, há esses ambientes nas ilhas da baía onde os famosos têm as suas casas... e vista dessa mesma baía, a cidade com os seus arranha-céus, é linda!


Porém vista por dentro, a grande cidade não tem nada de belo, as ruas estreitam-se pelas alturas dos mesmos arranha-céus, há obras permanentes, há buracos, há trânsito... muito trânsito.


Miami não tem ruas bonitas, como tem Londres, Paris ou qualquer capital europeia. Em Miami as lojas chiques que dão “glamour” ás cidades, estão a quilómetros do Centro, no Design District, onde a moda, a arquitetura e a restauração têm o seu apogeu, num verdadeiro concentrado de riqueza!
Assim, porque tudo é longe um carro é indispensável, mesmo que seja para comprar a maior banalidade.

As diversões, passeios de barco, mergulho as águas tropicais, os museus,  visitas aqui e ali tudo exige portanto um esforço extremo pela sua lonjura.

 

Como é a 3.ª vez que aqui estamos e desta vez já com o automóvel entregue, ao contrário das outras duas, apercebemos melhor como as distâncias aqui na cidade são desmesuradas e o que parece, no mapa, estar logo ali, está a quilómetros de distância!

 

Muita desta gente que aqui vive e que aqui trabalha, terá “quantidade de vida” porque a cidade é próspera, mas certamente essa vida não terá qualidade!

 

D376A742-16E6-45D4-8F91-7B699107B25E.jpeg

 

publicado por naterradosplatanos às 09:42 | link do post