O nosso Périplo...(2)

 

Sempre a pé, depois de vaguearmos pela quadrícula do Bairro Alto, bairro que após o terramoto/maremoto de 1755 assim foi planeado para, no cimo de uma “colina”, estar a salvo de um novo episódio...

 

Um banco de jardim esperava-nos no Príncipe Real, jardim de traçado romântico tão típico do século XIX... um cedro centenário ocupa-lhe centro, porém não é só este que nos capta a atenção mas também uma árvore  totalmente florida no seu esplendor tropical embora em pleno Outono! É uma “Ceiba speciosa” de que uma vez já falei no post Jardins”secretos”

 

Com esta é a quinta que conheço das espalhadas por esses jardins de Lisboa, e no caso de alguém se querer deslumbrar, em pleno Outono, provavelmente com as únicas árvores floridas, aqui ficam os lugares:

Campo das Cebolas, Jardins do Museu de Arte Antiga, Jardim da Praça da Alegria, Parque Eduardo VII e por fim esta do Jardim do Príncipe Real mas provavelmente haverá mais.

 

2A982C6D-B75C-4823-967A-B25912A200CC.jpeg

13DB1ABE-477A-4EA5-ADD9-5BB3AC12EEC0.jpeg

B272C28E-2ABD-4470-A519-D2133558EAFB.jpeg

Sentadas no banco e entre a contemplação e uma conversa que foi “como as cerejas” deixando assuntos a meio, lembranças pela metade, projetos a realizar... a hora de almoço chegou.

De antemão o Restaurante da Gulbenkian tinha sido o escolhido pois a sobremesa seria completada pelo passeio entre os inúmeros recantos...

 

Quando demos por ela o tempo tinha voado e eram horas da Fátima regressar á sua Coimbra... um abraço forte e um novo “Périplo” delineado!

publicado por naterradosplatanos às 19:22 | link do post