Quinta-feira, 24.06.21

O Alentejo e o seu contrário

 

Nada mais oposto que o Alentejo e o Minho, as planuras de horizontes longínquos contrastam com o acanhado dos vales e serranias daqui; os campos dourados, já raramente de trigo, são ou têm sido devotados às forragens, que lhe mantêm a cor, aqui, no Minho, são os campos confinados e verdes de milho e de horta que, graças à montanha e ao Atlântico,  mantêm o verde todo o ano!

Percorrendo as estradas de largueza semelhante, no Alentejo sentimos-lhe o desafogo, aqui,  pese a mesma largura o vale que atravessam e a montanha que furam trazem-nos um sentido de confinamento; o vazio de gentes lá, contrasta aqui com a gente por todo o lado: os aglomerados brancos aqui e além na planura, opõem-se ao ponteado do casario por todas as encostas. O branco não domina,o estilo das casas também é outro: aqui emigrou-se para lugares além fronteiras, lá migrou-se para Lisboa e Setúbal!

Tudo é pois muito  diferente!

Hoje estamos em Esposende e aqui o Rio Cávado encontra o mar e a cidade reparte-se por ambos. Há pouca gente na rua e nas esplanadas, tal como no passadiço que corre por quilómetros ao lado de ambos e que é muito, muito agradável.

Por aqui ficaremos três dias num “doce far niente”!

 

F79713B2-9C1C-4CA4-9774-4A615B984A24.jpeg

59E125AC-C63E-4A7F-8B79-2059B4C937BB.jpeg

45062853-7169-47E5-9D6F-CF10007FA868.jpeg

 

publicado por naterradosplatanos às 18:03 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Quinta-feira, 18.10.18

“Diários do nada”(25)

Hoje, o céu do Alentejo ao fim da tarde...

 

2977392C-79F5-4DAB-94AC-EA20964B798C.jpeg

CD70CB33-3062-41B7-85D0-53214BC047B1.jpeg

 

tags: ,
publicado por naterradosplatanos às 21:23 | link do post | comentar | ver comentários (2)

mais sobre mim

pesquisar neste blog

 

Setembro 2021

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
20
25
26
27
28
29
30

posts recentes

últ. comentários

Posts mais comentados

arquivos

tags

subscrever feeds

blogs SAPO