Quarta-feira, 01.08.18

Dia 13 - British Museum (2)

 

Continuo a escolher o que me impressionou:

 

1 - Placa de argila dos tempos da Babilónia 

4000 a 600 aproximadamente 

 

Não consigo imaginar as Bibliotecas onde todos estas placas com ensinamentos, leis,  “receitas médicas”, conselhos pediátricos, conselhos de convivência...  estariam armazenados em tempos mesopotâmicos! Só o BM tem 30 000 peças de várias dimensões! 

Aquelas placas de barro intensamente escritas e em minúsculos sinais prendem-me às vitrines como se mais nada houvesse no museu!

Numa pequena placa estavam escritos os conselhos de como acalmar um bebé chorão, ao lado conselhos ginecológicos, conselhos dos oráculos, conselhos de boa convivência entre religiões... Fascinante!

 

61F3B3B8-EA42-4B63-BB82-CC3B07716DF0.jpeg 

 

2 - Hinton St. Mary Mosaic  (Dorset)

 300 - 400 DC

Foi encontrado aqui na Inglaterra e data dos tempos da ocupação romana. Segundo a opinião de Neil MacGregor trata-se de uma das primeiras representações de Jesus já que nos primeiros séculos do cristianismo era inconcebível pois o judaísmo pressupunha que Deus se adorasse em espírito... além de que ninguém tinha a memória da sua face.

Porém para propagar uma nova fé era necessário materializar a figura e é essa figura do mosaico e de outras representações da época que ao fim e ao cabo condicionaram todas que até hoje nos chegaram!

 

205ADF49-0EA2-4E4E-B5A3-4F89F0CA4F31.jpeg

 

http://www.britishmuseum.org/explore/a_history_of_the_world/objects.aspx#44

 

 

3 - Pieces of eight

 

Extraordinárias, não pelo seu aspecto mas pela história que as envolve (provavelmente também circularam em Portugal no tempo dos Filipes).

A prata de que eram feitas chegou á Europa com os Espanhóis e foram produzidas aos milhares, talvez milhões já que elas eram a moeda de troca na compra das riquezas que a Corte Espanhola exigia... o Império que construíram tiveram-nas também por bases, já que financiaram negócios e conquistas!

As “pice of eight” foram usadas através do vasto império espanhol da América do Sul ås Filipinas e tão longe como do Norte da Escócia até à Austrália, onde ainda circulavam no séc.XIX. Pelo caminho compraram sedas, chá e especiarias... o Império espanhol cresceu à custa delas e foram elas também que contribuíram para a sua ruína quando a fonte da prata se esgotou e as “pieces of eight” já não circulavam na Península mas pelo mundo que as tornou suas!

 

Elas foram sem dúvida primeira moeda global, uma espécie de dólar dos nossos tempos!

 

 

AAF9B752-389D-4777-AEF8-506C5FF034A1.jpeg

 

http://www.britishmuseum.org/explore/a_history_of_the_world/objects.aspx#80 

 

 Nota:

Como seria cansativo para mim continuar a descrição dos 19 objectos que escolhi entre os 100, deixo aqui a ligação ao site relacionado com o livro para, em qualquer altura, ver e ler um pequeno resumo de todos os 98 objetos dado que o 99 é-me bem conhecido, já que o uso todos os dias, e o 100 é uma promessa para a humanidade de que todos também temos conhecimento.

 

http://www.britishmuseum.org/explore/a_history_of_the_world/objects.aspx#1 

publicado por naterradosplatanos às 17:03 | link do post | comentar
Segunda-feira, 30.07.18

Dia 12 - British Museum (1)

 

 

A 1ª vez em, 1968 foi com a minha irmã, depois a dois, depois com os filhos e agora de novo a dois. Todavia em nenhum das vezes fui com objetivos tão determinados.

A Sophie o Siamak ofereceram-nos o livro “The History of the world in 100 objects” o ano passado e 100 capítulos x 2 demoraram quase um ano a ler pois a sua leitura requer alguma reflexão em torno de cada um desses objetos.

Conforme fui lendo fui fazendo anotações e marcando aqueles que quereria ver numa próxima visita, visita que se concretizou agora.

Ora, como seria impossível ver todos eles, escolhi alguns, localizei-os nas salas do BM (maravilhosa ferramenta que é a internet) e hoje comecei a minha verdadeira visita. 

Sem pressas, no meio das multidões que há sempre, fui procurando  aquilo tinha selecionado, ao todo 19 peças que serão repartidas por dois dias de visita.

Para ficar aqui, para memória futura, hoje escolhi duas peças cuja história em que estiveram envolvidas me fascinou:

 

Flood Tablet 

Esta placa de argila datada entre 700 e 600 AC e encontrada no norte do Iraque está em escrita cuneiform e só em 1872 foi decifrada. O que  tem ela de espantoso? Ela relata simplesmente a história do Dilúvio tal como a Bíblia o fez chegar até nós, só que esse relato foi escrito 400 anos antes da história de que Noé é protagonista!!

 

07DBFB03-DCB2-456D-9A68-80848ADC4C3B.jpeg

http://www.britishmuseum.org/explore/a_history_of_the_world/objects.aspx#16

 

 

Statue of Tara

 

Foi encontrada no Sri Lanka e foi datada entre os 700 e os 900 anos DC, é uma estátua em bronze banhada a ouro e quase tamanho normal. O tronco está completamente nu e as vestes que cobrem a parte inferior  aparecem como que transparentes e coladas ao corpo, revelando assim as suas formas!

Tudo isto não teria a menor importância se a estátua tivesse sido feita para ser adorada como é usual!  Mas não, ela destinava-se a ser usada como um foco de meditação nas qualidades que ela personificava - compaixão e proteção... e agora vem o interessante, ela destinava-se a ser essencialmente vista pelos “padres” e monges de elites privilegiadas nos seus momentos de meditação* (!!)

 

8F0EBEB3-2C38-485C-B9F9-09207FF234BE.jpeg 

Interessante objeto de meditação!!  

http://www.britishmuseum.org/explore/a_history_of_the_world/objects.aspx#54

 

 * traduzido por mim dos “History of the World in 100 objects” p.296 ed. Penguin Books 

 

 

 

publicado por naterradosplatanos às 21:48 | link do post | comentar | ver comentários (1)

mais sobre mim

pesquisar neste blog

 

Outubro 2018

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

últ. comentários

  • E sempre muito doloroso perder quem nos mimou na v...
  • Sabe tão bem!!
  • Ficam memórias, mas, às vezes, doem de mais... Tam...
  • Era uma tia/madrinha muito especial que fez muito ...
  • Era a vodsa querida Tia Dalma de quem tenho maravi...
  • Sorte viver-se na cidade e simultaneamente no camp...
  • Que sorte ter essa vizinhança...
  • Catarina, este ano o meu marmeleiro não deu marmel...
  • É uma feira genuína típica da época das colheitas ...
  • Uma palmeira enorme! Muito alta.

Posts mais comentados

arquivos

tags

subscrever feeds

blogs SAPO