Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

No Areeiro e por aí...

No Areeiro e por aí...

29.03.23

O nosso grupo no WhatsApp…


naterradosplatanos

Há quantos anos existe WhatsApp, há quantos eu tenho uma ligação forte com quatro das minhas alunas e nunca me tinha lembrado de criar um grupo para nós?!

Bom, mas agora temos um que até tem tido grande movimento, e ultimamente têm tido um ar primaveril e uma saudável competição entre orquídeas! A primeira veio de Brisbane, as outras de Coimbra, o Areeiro não pode apresentar orquídeas porque não as tem e substituiu-as pelas suas camélias, que logo foram postas em confronto com as de Coimbra! A S. concorreu com uma cameleira inteira 😵‍💫!

A M. não pôde concorrer porque o seu jardim ainda está em projeto... mas lá chegará!

Aqui vão as concorrentes:

As orquídeas 

BA03BB92-9E21-43C9-9B8B-4D7E1841F75F.jpeg

As camélias

856EBFBB-CAF2-4544-84FC-EE6DACF42AAB.jpeg

6259F1B5-735E-4DB7-AD61-3B066BCC731C.jpeg

A cameleira da S.

182FFA17-DE2A-4874-8B4D-3B3660BB5D74.jpeg

 

 

10.09.14

Meio ano depois...


naterradosplatanos

Lembram-se daquela casa quase em ruínas com três orquídeas pendurada na fechadura da porta? Daquela história triste e simultaneamente cheia de ternura?

http://noareeiroeporai.blogs.sapo.pt/2014/01/22/

http://noareeiroeporai.blogs.sapo.pt/2014/02/05/

De passagem pelo Areeiro e numa volta à cidade, a minha irmã perguntou-me onde era a casa que tinha suscitado o meu post. Passamos lá.
Certamente quem ali deixou as orquídeas quis fazer mais pela memória de quem amavam e de um casebre quase em ruínas


apareceu uma pequena casa alentejana onde uma roseira teima em crescer!

04.02.14

Voltei lá...


naterradosplatanos

... mas sem sucesso! Pergunta a Gracinha, no seu comentário, se não haverá um café por perto onde me possa informar. Não, não há! A rua que tem o pomposo nome de Avenida Machado Lacerda, não tem mais de 500 metros com casas só de um lado e umas três em ruína. Aquela em que bati que fica do lado direito, é uma casa unifamiliar bastante simples. Hoje quando lá fui, na esperança de que quem a habita fosse almoçar, e as persianas estavam meias abertas, mas ninguém respondeu...

Agora que perdi a vergonha de tocar à campainha amanhã voltarei lá.

22.01.14

Que história contará?


naterradosplatanos

Hoje saí pela manhã para fazer umas coisas, ir o correio, à farmácia e pouco mais. Como ontem o dia foi de chuva e a Estrela esteve cá, não tive nada para fazer, logo a tarde foi de sofá! Assim sendo hoje decidi que iria fazer tudo a pé e depois subiria até à Sé para estender as pernas... Saída da farmácia e decidi-me por outro percurso, que não o habitual, assim rumei ao Jardim da Corredoura para depois ir até lá em cima.

A meio da rua que leva ao jardim deparei com algo que me fez parar e ficar a pensar sobre quanto significado aquilo teria para alguém... Aqui-lo com que me deparei foi simplesmente isto: uma casa pobre, em quase ruína, uma porta com um postigo (única abertura para a rua) um buraco de correio atafulhado de publicidade (!!) e preso ao batente um lindo ramo de três orquídeas ! Fiquei  por momentos presa a olhar aquele cenário... saudade, agradecimento por dias felizes ali passados? Que momentos, certamente bons, aquela casa e quem nela habitou terá proporcionado a esse outro alguém que, certamente, com o coração cheio de saudades, ali as deixou?

 

 

E9622ED6-5094-4458-A630-BC9C18555900.jpeg

 


A casa, muito pequena, está ladeadas por outras desabitadas, também não vi por ali ninguém senão teria perguntado o que sabiam sobre esse alguém que ali teria deixado aquelas lindas quatro orquídeas!