“Diários do nada” (26): as minhas romãs

Eu já tinha previsto que às primeiras chuvas as romãs iam rebentar! Sim, eu reguei a romãzeira durante todo o verão mas mesmo assim não foi suficiente. 

Não é por acaso que se ouve dizer que não há rega como a que cai do céu!

 

As minhas romãs são daquelas antigas, que nada têm a ver com as dos supermercados que são todas iguais e nunca abertas... as minhas são de todos os tamanhos e rara é aquela que deixa de me “sorrir”, além disso são de uma doçura imensa!

 

2F12CF7F-0E39-4094-B074-E15A986AA0F8.jpeg

950B44A4-2E77-4D16-BB36-967500F886E2.jpeg

67F64851-24E7-4BA6-9344-C4594E468FA4.jpeg

 

3D70866C-6661-4231-8A3E-E9EA054AE486.jpeg

 

tags:
publicado por naterradosplatanos às 13:15 | link do post | comentar